Aeroporto testa reconhecimento facial para identificar passageiros

Projeto piloto é realizado no Aeroporto de Salvador em parceria com a Gol
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Gol Linhas Aéreas/Divulgação)

Já está funcionando no Aeroporto de Salvador um projeto piloto chamado Embarque + Seguro, que dispensa o uso de documento de identificação, pelos passageiros, na hora do embarque. A identificação é feita por meio de reconhecimento facial e por identificação biométrica.

A tecnologia está sendo testada inicialmente com passageiros voluntários da companhia aérea GOL. “No momento do check-in no aeroporto, é feita a validação biométrica do passageiro, comparando os dados e foto tirada na hora, com a base do governo e a vinculação ao cartão de embarque. Para entrar na aeronave, o embarque ocorre por meio de identificação facial por biometria, sem a necessidade de apresentar qualquer documento”, informou por meio de nota o Ministério da Infraestrutura.

O banco de dados usado para validação das informações das pessoas agrega a base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), bem como das CNHs (Carteira Nacional de Habilitação) do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). “Na prática, isso significa que não só os motoristas, mas também todos os eleitores que fizeram o cadastramento biométrico no TSE, poderão usufruir das facilidades da validação biométrica para viajar. Ao todo, são 67 milhões de CNHs e 120 milhões de eleitores cadastrados”, diz a nota do ministério ao informar que “em breve” outras bases governamentais serão utilizadas para ampliar o universo de dados.

De acordo com a pasta, a tecnologia adotada foi desenvolvida por meio de uma parceria com o Serpro, que é a empresa de inteligência em Tecnologia da Informação do governo federal, com o objetivo de tornar “mais eficiente o processo de embarque nos aeroportos e mais seguras as viagens aéreas”.

A tecnologia de reconhecimento facial para a identificação do passageiro e embarque automático já era oferecida no mercado. “O que não existia, até o momento, era um sistema nacional unificado que possibilitasse checar e validar, com rapidez e segurança, a identidade do passageiro a partir do cruzamento com diferentes bases de dados governamentais”, acrescenta o ministério.

Por Pedro Peduzzi, da Agência Brasil 

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas