Congonhas e Santos Dumont devem ser privatizados até 2022

Ao todo, 44 aeroportos serão entregues à empresas.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Por Vinícius Lisboa

(Arquivo/SP Agora)

O governo federal pretende conceder à iniciativa privada mais 44 aeroportos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) até o 2022, o que inclui os aeroportos Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo. A informação foi dada hoje (24) pelo ministro da infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que participou de reunião com o Conselho Empresarial do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro.

O ministro afirmou que o governo testou em março o modelo de leilão de concessão em blocos com 12 aeroportos e avalia que o resultado foi bem sucedido. “O modelo deu certo, foi bem aceito, os investidores vieram e tivemos ágios bastante interessantes”.

Na próxima rodada, prevista para outubro de 2020, serão leiloadas as concessões de 22 aeroportos, que serão oferecidos nos blocos Sul, Centro-Oeste e Norte 1. Na sétima rodada, prevista para o fim de 2021 ou início de 2022, serão mais 22, com o bloco Norte 2 e dois blocos do Sudeste, um encabeçado pelo Santos Dumont, e outro pelo Aeroporto de Congonhas.

“Por que esses ficaram por último? Esses dois aeroportos são muito importantes para a estabilidade financeira da Infraero. Tem dois objetivos. Primeiro, estamos convidando o investidor a conhecer o mercado brasileiro e já vir para a sexta rodada. E é como se a gente afirmasse assim: o melhor está ficando para o final”, detalhou ele a jornalista depois de participar do evento.

Em seu discurso, o ministro avaliou que a concessão dos aeroportos vai impulsionar o mercado de aviação civil e afirmou que o governo planeja “mudar a vocação da Infraero”. “Ela começa agora a olhar para os aeroportos regionais. Uma das nossas preocupações é fomentar a aviação regional, que vai acabar alimentando os aeroportos de grande porte que são hoje administrados pela Infraero e serão transferidos para a inciativa privada”.  

*Com informações de Lígia Souto, do Radiojornalismo da EBC

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas