Dia mundial da água é comemorado hoje

Veja produtos que podem substituir o plástico
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Arquivo)

A pandemia mudou muitos padrões sociais. Com o isolamento, a maioria das pessoas aumentou o consumo de delivery desde o início do ano passado, o que fortaleceu também o consumo do plástico descartável, um dos maiores vilões dos oceanos.

Hoje (22), é comemorado o Dia Mundial da Água, instituído pela ONU em 1993, com o objetivo de promover a conscientização sobre o uso deste recurso natural tão importante e alguns dados alertam para como o oceano tem sido impactado pelos padrões de consumo. Atualmente, a produção mundial de plástico equivale a 500 milhões de toneladas, segundo o Greenpeace. Muito desse processo tem como produto final os objetos plásticos de uso único, como sacolas, pratos e garrafas que, quando descartados, podem ter dois destinos: um aterro sanitário ou a reciclagem.

O grande problema é que os dados sobre reciclagem não são positivos. Apenas 9% de todo o plástico produzido no mundo foi reciclado, 12% foi incinerado e 79% foi parar em aterros ou foram descartados no meio ambiente, de acordo com dados divulgados pela IBERDROLA .

Além disso, o material já chegou ao ponto mais profundo do planeta, situado a 11 mil metros de profundidade, onde nem mesmo o ser humano, com toda a tecnologia disponível, foi capaz de chegar e, de acordo com uma estimativa divulgada no Fórum de Davos , até 2050, pode haver mais plástico que peixe nos oceanos.

Para começar a mudar este cenário já!

Lori Vargas, fundadora da Mapeei , conta como é possível reduzir significativamente o uso do plástico no dia a dia e contribuir para a redução da poluição dos oceanos.

“Não nos damos conta de que muitos itens que usamos diariamente, quando descartados, acabam poluindo o meio ambiente. As escovas dentais, por exemplo, geralmente são feitas de plástico. Se você trocar por uma feita de bambu , é um material que, por ser 95% biodegradável, pode ser compostado, enterrado em jardins ou vasos de plantas. Anualmente, são descartadas 26 bilhões de escovas no mundo, então só com essa prática, a gente consegue melhorar muita coisa”, aponta.

Além das escovas dentais, outros itens podem ser facilmente substituídos por outros, confeccionados com outros materiais, como os canudos de inox , que substituem os de plástico descartável e tem ganhado popularidade, assim como os copos retráteis , fáceis de carregar e que ajudam a reduzir ou até eliminar o uso dos copos descartáveis.

Lori chama atenção também para os itens de beleza e bem-estar: “Outro grande problema são objetos como aparelhos de barbear descartáveis, que são feitos de plástico, para serem usados uma única vez. A solução para isso é voltar a usar os barbeadores de aço , que é um item que causa desperdício zero”, complementa.

Durante a idade fértil, uma única mulher descarta de 10 a 15 mil absorventes íntimos. Hoje, além dos absorventes de tecido , que são laváveis e reutilizáveis, existe a possibilidade de substituir o absorvente convencional pelo coletor menstrual , que é um copinho de silicone medicinal hipoalergênico, que coleta o sangue e ainda facilita práticas como yoga, academia e natação.

“Minha ideia, ao criar a Mapeei, foi justamente oferecer opções para que as pessoas pudessem reduzir drasticamente o uso do plástico descartável. Minha primeira dica para quem está disposto a seguir este caminho é saber dizer não diga não quando te oferecerem sacolas plásticas no mercado, peça uma caixa de papelão ou leve uma de tecido. Dessa maneira você cria o hábito e isso passa a ser cada vez mais natural”, sugere Lori.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas