Inflação em SP registra alta em janeiro

Alimentação e vestuário estão entre os itens que ficaram mais caros.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O Índice do Custo de Vida (ICV) no município de São Paulo, calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), registrou uma inflação de 0,64% em janeiro.

Entre dezembro de 2019 e janeiro de 2020, houve variações nos grupos educação e leitura (1,61%); alimentação (1,04%); saúde (0,69%); recreação (0,55%); transporte (0,52%); equipamento doméstico (0,31%); despesas pessoais (0,26%); vestuário (0,14%); habitação (-0,09%); e, despesas diversas (-0,66%).

Segundo os dados, a inflação do grupo Educação e Leitura foi puxada pelos reajustes das mensalidades escolares, que ocorrem no início do ano. A taxa do subgrupo educação ficou em 1,59% e a do leitura, em 2,02%. No grupo alimentação a inflação foi influenciada pelos  produtos in natura e semielaborados (1,35%); indústria da alimentação (1,18%); e alimentação fora do domicílio (0,26%).

De acordo com o ICV, as consultas médicas variaram 0,41% e os seguros e convênios médicos 0,95%, influenciando junto com os itens do subgrupo assistência médica (0,84%) para o resultado do grupo Saúde. No grupo transporte o aumento ocorreu devido aos reajustes nas tarifas do transporte coletivo (1,86%): 2,33% para os ônibus municipais e trens; 2,28% para o metrô; e 1,49% para os ônibus intermunicipais.

*com informações da Agência Brasil

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas