Força Tarefa consegue apagar incêndio no Pará

Áreas são vigiadas pelo Corpo de Bombeiros.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Por Laíse Coelho, via Agência Pará

(Reprodução/via Agência Pará)

No início da manhã desta terça feira (17), os focos de incêndio na região de Santarém, oeste do Estado, foram extintos pela força-tarefa composta por 57 bombeiros, 20 brigadistas e 150 militares do Exército. A ação também contou com o apoio da prefeitura de Santarém, que por meio da Secretaria de Infraestrutura, está ajudando com o aceiro, que é uma forma de prevenir queimadas nas áreas de vegetação. Ao todo, 230 pessoas estão envolvidas nas atividades.

O comandante do 4º Grupamento do Corpo de Bombeiros, tenente coronel Tito Azevedo, reforçou a importância do trabalho integrado para o êxito da operação.

“Com o apoio de todos os envolvidos e também do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Estado do Pará (Graesp), que enviou a sua aeronave para ajudar no combate aos focos, nós conseguimos evitar um mal maior, que era justamente o fogo ganhar proporções e atingir a área de floresta. As equipes conseguiram conter as chamas e a situação já foi contornada”, garantiu.

Segundo o comandante, as ações continuam na região, com o objetivo de manter a vigilância, inclusive com sobrevoos que vão fazer monitoramentos do local. O trabalho agora está sendo concentrado na varredura das áreas para evitar que algum foco volte a se propagar por conta do calor e tempo seco.

“Faço um pedido para que a população não faça queimadas para a limpeza dos terrenos, porque como a temperatura está alta e a vegetação seca, é bem provável que o fogo se propague para outras áreas”, reforçou o tenente coronel.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas