Irmãos, de 8 e 16 anos, ficam três dias perdidos na mata

Eles haviam saído para caçar e se perderam
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Irmão mais novo recebe atendimento dos Bombeiros (Igor Luz/CB do Pará/via Agência Pará)

O Corpo de Bombeiros Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, por meio do 4° Grupamento Bombeiro Militar (4° GBM), sediado em Santarém, na região oeste, atenderam dois irmãos que estavam desaparecidos havia três dias na comunidade Fé em Deus, região Arapiuns-Maró. Segundo familiares, o menino de 8 anos e o adolescente de 16 anos saíram para caçar no último dia 7 (quinta-feira), em uma área de mata fechada na região do Alto Arapiuns, e não retornaram.

Militares do 4º GBM foram acionados no dia seguinte, mas devido à dificuldade de comunicação e transporte para a região, o deslocamento só foi possível na manhã de sábado (09). A guarnição enfrentou cerca de 4h30 de deslocamento por balsa até o Porto do Aninduba, e mais de 200 km de estradas e ramais com atoleiros para chegar ao local conhecido como Piçarreira, que serviu de base para as buscas na área da comunidade Fé em Deus. Moradores de áreas próximas também foram mobilizados nas primeiras buscas.

Ao chegar ao local, a guarnição foi informada que, por volta de 11h35, os jovens haviam sido localizados por moradores e já estavam em deslocamento para a base. Com a chegada dos irmãos, os militares fizeram uma avaliação geral sobre as condições em que estavam e os primeiros atendimentos. Apesar de passarem três dias na mata, eles apresentaram apenas escoriações leves devido à densa vegetação, pequena desidratação e câimbras nas pernas e abdômen.

Conforme relatos de moradores, apesar de acostumados com atividades na área, foi a primeira vez que os irmãos entraram na mata para caçar, por isso desconheciam o local e acabaram não encontrando o caminho de volta.

Após a avaliação, os militares conduziram o menino e o adolescente à comunidade onde residem e os entregaram aos cuidados dos pais.

Por Igor Luz, da Agência Pará

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas