MPF pede arquivamento do processo do triplex contra Lula

Procuradoria reconhece prescrição das acusações sobre o triplex
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

O Ministério Público Federal (MPF) reconheceu a prescrição das acusações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo relacionado ao triplex do Guarujá, no litoral do estado de São Paulo, e pediu assim o arquivamento do caso.

O processo do triplex foi uma das ações da Operação Lava Jato que foram transferidas da Justiça Federal de Curitiba para a Justiça Federal de Brasília, depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu, em abril deste ano, que esse e outros processos contra o ex-presidente não estavam relacionados à corrupção na Petrobras, foco inicial da Lava Jato.

Mais tarde, em junho, a Corte declarou a parcialidade do ex-juiz federal Sergio Moro na condenação de Lula no caso do triplex e confirmou a anulação da sentença.

(Reprodução)

Em Curitiba, o petista havia sido condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo a propriedade do apartamento no Guarujá. O veredicto levou o ex-presidente à prisão por 580 dias.

Com a anulação da condenação e a transferência do caso para Brasília, a investigação teria que ser retomada desde o início, e as provas colhidas no processo original em Curitiba foram invalidadas e não poderiam ser reaproveitadas em um eventual novo julgamento.

A nova decisão

Em decisão assinada nesta segunda-feira (06/12), a procuradora da República Márcia Brandão Zollinger reconheceu, por fim, a prescrição das acusações com o argumento de que o Supremo já havia anulado as condenações de Lula mais cedo neste ano.

Segundo a procuradora, a Corte “decretou a nulidade de todos os atos decisórios” de Moro, “razão pela qual foram tornados sem efeito todos os atos que consubstanciaram marcos interruptivos da prescrição”.

“Dessa forma, em cumprimento à decisão do Supremo Tribunal Federal, as provas colhidas não podem ser aproveitadas, pois a nulidade imposta alcança os atos pré-processuais. Não é possível, portanto, a mera ratificação da denúncia”, completa Brandão Zollinger.

Aos 76 anos, Lula foi ainda beneficiado por sua idade, já que o prazo para a prescrição cai pela metade após os 70 anos.

“Nesse contexto, quanto às imputações relacionadas ao pagamento de reforma, ocultação e dissimulação da titularidade do apartamento 164-A, triplex, e do beneficiário das reformas realizadas, verifica-se a ocorrência da extinção da punibilidade pela prescrição da pretensão punitiva estatal relativamente aos investigados septuagenários”, diz a decisão.

Considera-se que um caso “prescreveu” quando o processo de um suposto crime do passado leva muito tempo para ser julgado. Essa contagem é feita a partir da data do delito investigado até o momento em que o juiz dá início a uma ação penal após receber a denúncia.

Lula e Moro se pronunciam

Em nota, os advogados de Lula, Cristiano Zanin e Valeska Teixeira Martins, comemoraram a decisão do Ministério Público do Distrito Federal e lançaram críticas à atuação de Moro.

“O pedido de arquivamento apresentado pelo MPF deve pôr fim a caso que foi construído artificialmente a partir do conluio do ex-juiz Sergio Moro e do ex-procurador Deltan Dallagnol para prender o ex-presidente Lula, retirá-lo das eleições de 2018 e para atacar indevidamente sua reputação, tal como sempre sustentamos”, diz o texto.

Moro também se pronunciou nesta terça-feira, afirmando que “manobras jurídicas enterraram de vez o caso do triplex de Lula, acusado na Lava Jato”. “Crimes de corrupção deveriam ser imprescritíveis, pois o dano causado à sociedade, que morre por falta de saúde adequada, que não avança na educação, jamais poderá ser reparado”, escreveu no Twitter.

Por Deutsche Welle
ek (ots)

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.