TJ-SP investiga juiz que inocentou PMs acusados de estupro

Juiz Ronaldo João Roth é amigo do advogado José Miguel da Silva Junior, que defendeu os réus
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Rede Social/via TV Cultura)

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) vai começar a investigar o juiz Ronaldo João Roth, do Tribunal de Justiça Militar (TJM), por um suposto favorecimento ao advogado José Miguel da Silva Junior no julgamento que inocentou dois policiais militares de uma acusação de estupro.

Recentemente, o G1 divulgou que o advogado e o juiz são amigos íntimos. O crime, dos quais os réus foram absolvidos, teria acontecido na Praia Grande, no litoral de São Paulo, em 2019. Na acusação, consta que dois agentes teriam estuprado uma jovem de 21 anos dentro de uma viatura.

Foram encontrados o celular da mulher e sêmem dentro do carro. No entanto, Roth apontou que a relação sexual foi consensual. O site da TV Cultura buscou contato com o TJ-SP e com o juiz, mas não obteve retorno até o momento.

Por TV Cultura

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas