Vereador é condenado por declarações antissemitas

Vereador já havia se desculpado pelas palavras

A Justiça determinou a condenação do vereador paulista Adilson Amadeu (União Brasil) por ataques antissemitas ao vereador Daniel Annenberg (PSDB) durante uma sessão na Câmara Municipal de São Paulo.

Após votar contra um projeto de lei do colega, o político tucano foi ofendido. A pena de um ano e quatro meses de prisão, determinada na Justiça, foi convertida em trabalhos comunitários pelo mesmo período.

Além disso, Amadeu também terá que pagar multa de um salário-mínimo e indenização de R$ 10 mil por danos morais.

Adilson Amadeu, de terno e gravata, usando máscara, discursa ao microfone da Câmara Municipal enquanto aponta os dois dedos indicadores para si mesmo.
Adilson Amadeu, vereador de São Paulo (Giovanna Cecchi/Câmara de SP)

Logo após o ocorrido, o vereador havia se desculpado com a comunidade judaica e alegado que se “excedeu” no “calor da discussão”. A juíza da 31ª Vara Criminal de São Paulo, Ana Helena Mellim, determinou as declarações como injúria racial, incluindo ofensas de raça, cor, etnia e religião.

Ela também considerou que a fala do vereador não estava protegida pela imunidade parlamentar.

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.