Ministro defende investigar declaração de Eduardo Bolsonaro

Alexandre de Moraes diz que declaração fere a lei
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Daniel Mello/Agência Brasil

Alexandre de Moraes, Ministro do STF (Wilson Dias/Agência Brasil)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes defendeu hoje (22) que a Procuradoria-Geral da República investigue o deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). No fim de semana, foi divulgado um vídeo nas redes sociais, gravado meses atrás, em que o deputado diz que bastaria um cabo e um soldado para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF).



“É inacreditável que no Brasil do século 21, a Constituição com 30 anos, ainda tenhamos que ouvir tanta asneira vinda da boca de quem representa o povo”, disse ao participar de um evento sobre os 30 anos da Constituição Federal, no Ministério Público de São Paulo.

Para o ministro, a afirmação de Eduardo Bolsonaro pode configurar crime previsto no Artigo 23 da Lei de Segurança Nacional – incitar animosidade entre as Forças Armadas e outras instituições.

“Não é possível que simplesmente se afirme isso e depois se diga que estava brincando. Não se brinca com a democracia, com o estado democrático de direito, com a estabilidade republicana”, disse após enfatizar que o fato merecia “imediata abertura de investigação.”

Parafraseando Thomas Jefferson, terceiro presidente norte-americano, Moraes ressaltou que situações como essa merecem atenção. “Confirma uma das frases mais importantes de um dos grandes democratas, um dos pais fundadores dos Estados Unidos, Thomas Jefferson, que disse: ‘o preço da liberdade é a eterna vigilância’”, destacou. “Nada justifica a defesa de fechamento de instituições republicanas com legitimidade constitucional.”

No vídeo, gravado antes do primeiro turno, Eduardo Bolsonaro é questionado por um estudante sobre a hipótese de o Supremo impedir a posse de seu pai, uma vez que ele seja eleito, se seria o caso de fechar a instituição. O parlamentar respondeu que: “Se quiser fechar o STF, sabe o que você faz? Não manda nem um jipe. Manda um soldado e um cabo. Não é querer desmerecer o soldado e o cabo”.

Ontem (21) na sua conta do Twitter, Eduardo Bolsonaro pediu desculpas e justificou a resposta a uma “hipótese esdrúxula”. O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, rechaçou a possibilidade de fechamento do Supremo.


Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas