Conselho de Ética aceita denúncia contra deputado que apalpou parlamentar

Deputado foi gravado tocando a deputada durante uma sessão na Alesp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aceitou, por unanimidade, nesta quarta-feira (10), a denúncia da deputada Isa Penna (PSOL) e abriu processo contra o deputado Fernando Cury (Cidadania), por importunação sexual. Em dezembro, Cury foi flagrado passando a mão no seio da colega no plenário da Casa, episódio que foi transmitido ao vivo pela TV Alesp.

O deputado Emidio de Souza foi indicado como relator do caso pela presidente do conselho, a deputada Maria Lúcia Amary. A partir de agora, Fernando Cury tem o prazo de 5 sessões ordinárias do plenário da Alesp para apresentar a sua defesa ao Conselho de Ética, com cópia para todos os integrantes. O documento será analisado pelo relator, que terá 15 dias para elaborar um parecer. 

Na etapa seguinte, os deputados do Conselho de Ética avaliam se concordam ou não com o relator. Caso eles definam por uma condenação, o caso é enviado para o plenário da Câmara. Em caso de condenação, Cury pode ter o mandato suspenso e até cassado.

Cidadania

No começo de janeiro, o Conselho de Ética do partido Cidadania aprovou um relatório em que recomenda a expulsão do deputado. Segundo comunicado divulgado pelo partido, o parecer da Comissão e o relatório vão ser encaminhados para a Presidência do Cidadania, “à qual caberá convocar o Diretório Nacional para deliberar a respeito e decidir pela expulsão ou não do parlamentar”, informa.

“As imagens do plenário por si conferem clareza ao acontecimento, com nitidez, câmeras flagraram um comportamento descabido, rasteiro e incongruente por parte do deputado Fernando Cury contra a deputada Isa Penna. O fato é grave e insolente, não nos permite outra interpretação que não a de estarmos diante de um acontecimento desrespeitoso e afrontoso, que deve ser combatido”, anotou a relatora, Mariete de Paiva Souza.

Justiça

No mês passado, a Justiça de São Paulo autorizou a abertura de investigação contra Fernando Cury. Em depoimento ao Ministério Público (MP) de São Paulo, Penna afirmou que foi surpreendida pela aproximação de Cury enquanto conversava com o presidente da assembleia, deputado Cauê Macris (PSDB).

“Reiterando ter sido sexualmente importunada pelo Deputado Fernando Cury, que lhe surpreendeu ‘com uma apalpada na lateral de seu seio direito, um abraço por trás (que vulgarmente chamamos de encoxada)’, sendo que, ainda, na ocasião ‘pôde identificar um cheiro forte de bebida alcoólica vindo do hálito e das roupas de seu agressor’”, diz o pedido feito pelo MP para a abertura da investigação.

*Com TV Cultura

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas