Insatisfação com governo Bolsonaro cresce, diz CNI/Ibope

Presidente está em viagem internacional.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Jair Bolsonaro ao desembarcar do avião presidencial (Alan Santos/Presidência da República)

Os três indicadores que medem a popularidade do presidente Jair Bolsonaro registram piora entre abril e junho de 2019. O percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo sobe de 27% para 32%, enquanto o percentual da população que avalia o governo como ótimo ou bom oscila, indo de 35% para 32% (dentro da margem de erro da pesquisa, de 2 pontos percentuais para cima e para baixo).

No que diz respeito à maneira de governar do presidente Bolsonaro, o percentual de desaprovação cresce de 40% para 48%, enquanto a aprovaçãorecua de 51% para 46%. A confiança no presidente também diminui. O percentual dos que confiam nopresidente passa de 51% para 46% e o dos que nãoconfiam aumenta de 45% para 51%.

Com relação às ações e políticas por áreas espe-cíficas, o maior crescimento da insatisfação ocorrena área de Educação. O percentual dos que desa- provam a atuação do governo nessa área sobe 10 pontos percentuais, de 44% para 54%, e o percen- tual dos que aprovam cai de 51% para 42%.

A queda na popularidade do presidente é maior entre as mulheres, entre os respondentes com atéa quarta série da educação fundamental, entre os brasileiros com menor renda familiar e entreos residentes nas regiões Norte/Centro-Oeste e Nordeste. Cabe ressaltar que parcela importante da mudança deve-se à redução do percentual dos indecisos, ou seja, aqueles que não souberam ou não quiseram responder a pergunta.

Confira a íntegra da pesquisa CNI/Ibope aqui

*Conteúdo da Confederação Nacional da Indústria

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas