Políticos brasileiros comentam guerra na Ucrânia

Presidente Jair Bolsonaro ainda não se manifestou

Após o presidente russo Vladimir Putin autorizar, na madrugada desta quinta-feira (24), uma operação militar especial na região leste da Ucrânia, políticos de todo mundo se manifestaram sobre a situação. No Brasil, importantes figuras do meio também decidiram reagir à invasão. 

O ex-presidente e candidato para as eleições desta ano, Luís Inácio Lula da Silva (PT), publicou nas redes sociais o seu posicionamento. “A humanidade não precisa de guerra, precisa de emprego, de educação. Por isso que eu fico triste de estar aqui falando de guerra e não de paz, de amor, de desenvolvimento”, afirmou.

Ciro Gomes, que, neste ano, é pré-candidato do PDT, afirmou que o Brasil precisa se preparar para os reflexos do conflito entre os dois países. “Muito especialmente por termos um governo frágil, despreparado e perdido”, concluiu. 

Já o o pré-candidato do Podemos, Sergio Moro, utilizou as redes sociais para afirmar que repudia a guerra e a violação da soberania da Ucrânia. 

A deputada Janaína Paschoal declarou em sua conta do Twitter que qualquer manifestação sobre a situação pode incluir o país na tensão militar. “Quanto ao Brasil, melhor seguir a tradição da neutralidade e da busca da paz pela diplomacia o máximo possível”, diz.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda não fez nenhuma declaração sobre a situação na Ucrânia.

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.