Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Políticos lamentam saída de Moro e falam em impeachment

Ex-ministro fez acusações graves contra o Presidente Bolsonaro.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Sergio Moro deixa o Ministério da Justiça e Segurança Pública
(Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O pedido de demissão do ministro da Justiça e de Segurança Pública, Sérgio Moro, com acusações ao presidente da República, Jair Bolsonaro, de querer interferir politicamente na Polícia Federal, repercutiu na Câmara dos Deputados. Moro afirmou que Bolsonaro disse a ele que queria ter uma pessoa próxima, de sua confiança para poder “ligar, colher informações e colher relatórios de inteligência”.

Líderes partidários e diversos parlamentares criticaram a decisão de Bolsonaro de trocar o comando da Polícia Federal.

O líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), afirmou que a demissão de Moro é uma sinalização muito ruim para a sociedade. “Sua saída não só é uma perda considerável ao governo e ao País, como pode indicar uma mudança preocupante na condução dos assuntos pertinentes ao Ministério da Justiça. É lamentável que o governo, em um momento de crise como este, perca um aliado de tamanha envergadura moral”, disse Sampaio.

O líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), criticou Moro sobre sua condução como juiz e ministro, mas afirmou que sua demissão fortalece a necessidade do afastamento do presidente da República.

“Ele passou meses e meses calado. De santo, não tem nada! Sua demissão-delação diz muito sobre sua índole parcial, a mesma que condenou Lula sem provas. O projeto de poder do ex-juiz falou mais alto. Agora, mais do que nunca, o #ForaBolsonaro torna-se emergencial”, postou Guimarães em suas redes sociais.

A líder do PSL, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), afirmou em suas redes sociais que a saída de Moro mostra que o governo traiu o sistema de Justiça. Ela criticou o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente. “Pode demorar quatro anos, mas a máscara dos hipócritas sempre cai. Quem quer controlar a PF, bananinha, é seu pai pra proteger você e seus irmãos dos crimes que cometeram: gabinete do ódio, rachadinha”, publicou Hasselmann.

O líder do Novo, deputado Paulo Ganime (Novo-RJ), lamentou em suas redes sociais a saída do ministro. Segundo Ganime, é uma dia triste para o combate à corrupção. “O Brasil perde muito com a saída de Sérgio Moro, mas ele ganhou ainda mais o meu respeito pela postura e por não aceitar a interferência política na Polícia Federal”, afirmou Ganime.

O líder do MDB, deputado Baleia Rossi (MDB-SP), pediu serenidade. “Qualquer demissão agora é ruim. Sobretudo em pastas bem-avaliadas. Nosso maior inimigo é a pandemia. Temos de salvar vidas. Mais turbulência só prejudica o País. Repito: equilíbrio e serenidade”, postou o líder em suas redes sociais.

A líder do Psol, deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS), afirmou que as acusações de Moro contra Bolsonaro exigem a abertura de processo de impeachment. “Moro fez acusações muito graves contra Bolsonaro. Já há motivos de sobra para um impeachment, como sinalizamos no pedido assinado por 1 milhão de pessoas. Rodrigo Maia precisa receber os pedidos de impeachment urgentemente”, cobrou a líder.

O líder do DEM, deputado Efraim Filho (DEM-PB), afirmou que Moro deu exemplo de coragem e equilíbrio. “Renunciou ao cargo de Juiz federal para servir ao País e sua saída significa frustração no sonho de milhões de brasileiros. Notícia ruim para o governo e pior para o Brasil”, criticou Efraim Filho.

O líder da Oposição, deputado André Figueiredo (PDT-CE), afirmou que Maurício Valeixo não queria sair da direção-geral da PF e foi forçado a acatar a exoneração a pedido. “Sérgio Moro entrega todos os absurdos de Jair Bolsonaro”, diz Figueiredo.

A líder do PCdoB, deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), afirmou que vai encaminhar pedido de convocação de Sérgio Moro para esclarecer “o conjunto de crimes que presenciou o presidente Bolsonaro cometer”.

O líder do Podemos, deputado Leo Moraes (Pode-RO), postou nas redes sociais uma nota do partido em que lamenta a demissão de Sérgio Moro. “O combate à corrupção está no coração e na alma das aspirações nacionais.A Justiça é uma necessidade humana incontornável e, na sociedade política, deve figurar como prioridade. Sérgio Moro foi um verdadeiro titã. É a derrota da ética”, criticou Moraes.

O líder do PT, deputado Ênio Verri (PT-PR), disse que Bolsonaro quer ter acesso a investigações sigilosas. “Durante coletiva em que anunciou a sua demissão do Ministério da Justiça, Sérgio Moro confirmou que, durante os governos do PT, a Polícia Federal teve total autonomia. Já Bolsonaro quer um diretor-geral que o informe sobre investigações sigilosas”, afirmou Verri.

O líder do Cidadania, deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), afirmou que foi rompido o compromisso de autonomia da PF. “Sobrou uma grande indagação: por que interferir? Qual é o objetivo do presidente da República em mexer num cargo tão relevante para a segurança pública nacional? As revelações do ministros são gravíssimas e coloque em xeque de agora em diante todo e qualquer movimento de Bolsonaro nessa seara”, protestou Jardim.

O vice-líder do governo na Câmara, deputado Carlos Jordy (PSL-RJ), criticou a forma como o ministro pediu demissão. “Moro saiu, fomos pegos de surpresa. Ontem mesmo ele nos garantiu que não sairia. Para nós, base do governo, uma informação; para a extrema-imprensa, outra. Lamentável. E mais lamentável ainda a maneira como saiu. Enfim, o destino se encarregará de tudo. Vamos em frente!”, disse Jordy.

Por Luiz Gustavo Xavier – Repórter da Agência Câmara de Notícias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas notícias

Podcast
SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
As últimas notícias de São Paulo e do Brasil.
As manchetes dos principais jornais do país
by SPAGORA

Você vai ouvir na voz do repórter Paulo Édson Fiore as manchetes dos principais jornais brasileiros.

As manchetes dos principais jornais do país
Comandante da PM afasta policial após ele apreender carro de vereadora
As manchetes dos principais jornais do país
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest