Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

Reprovação ao governo do presidente alcança 53%
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. Paulo. É o pior nível desde o início do mandato.

No levantamento anterior, feito em julho, Bolsonaro era rejeitado por 51% dos inquiridos, que avaliaram o governo dele como ruim ou péssimo.

O novo levantamento, que foi realizado de forma presencial entre esta segunda e quarta-feiras, ouviu 3.667 pessoas com mais de 16 anos em 190 municípios e é o primeiro a ser divulgado depois dos atos antidemocráticos do Sete de Setembro, convocados por Bolsonaro e dos quais ele mesmo participou.

Naquele dia, Bolsonaro fez ameaças às instituições do país e, diante de milhares de apoiadores, incentivou à desobediência de ordens do Supremo Tribunal Federal (STF) e a decisões do Parlamento contrárias aos seus interesses.

O posicionamento causou uma imensa onda de críticas de parlamentares, do STF e até de partidos políticos da sua base aliada, levando o presidente a recuar, poucos dias depois, numa declaração à nação, em que assegurou que não teve a intenção de agredir os demais poderes da República.

Na sondagem do Datafolha, o presidente foi avaliado como bom ou ótimo por 22% dos inquiridos, uma oscilação negativa face aos 24% que obteve no levantamento anterior e que já então era o pior índice do seu mandato. 

A percentagem dos que o consideram regular ficou em 24%, o mesmo índice de julho.

A margem de erro da sondagem é de dois pontos percentuais, em ambos os sentidos.

A reprovação ao governo de Bolsonaro mantém uma tendência de alta desde dezembro do ano passado. E mesmo entre o segmento evangélico, uma das principais bases de apoio dele, a reprovação ao governo já subiu 11 pontos desde janeiro e está superior (41%) à sua aprovação (29%).

Eleição presidencial

O Datafolha também afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua liderando a disputa pela Presidência da República, em 2022, com larga vantagem sobre o atual chefe de Estado.

De um modo geral houve pouca alteração nos percentuais das possíveis candidaturas. Na resposta espontânea, quando o entrevistado diz em quem pretende votar, Lula alcança 38% e Bolsonaro, 20%. Em julho eles tinham 42% e 19%.

Nas simulações de primeiro turno, quando são apresentados ao entrevistado possíveis nomes de candidatos, Lula oscila entre 42% e 44%. Já o presidente tem entre 24% e 26%.

No segundo turno, Lula bateria Bolsonaro por ampla vantagem, afirma o Datafolha: 56% a 31%. Em julho os percentuais apurados eram 58% e 31%, também com vantagem para o petista.

Segundo a pesquisa, Lula também venceria um segundo turno contra o pedetista Ciro Gomes e o governador de São Paulo, João Doria, em ambos os casos com mais de 50% dos votos válidos.

Já tanto Ciro como Doria seriam vencedores numa disputa de segundo turno com Bolsonaro, por 52% a 33% e 46% a 34%, respectivamente.

Bolsonaro, Lula e Doria são ainda, nessa ordem, os candidatos com maior rejeição: 59%, 38% e 37%.

Entre os que votaram em Bolsonaro em 2018, 26% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum de novo, 66% afirmam que não votariam de jeito nenhum em Lula, 46% descartam totalmente Ciro e 40%, Doria.

Por Deutsche Welle

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas