Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Brumadinho: confirmadas 134 mortes

Por Letycia Bond e Luciano Nascimento

Bombeiros realizam buscas perto da mata (Corpo de Bombeiros/Reprodução)

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e a Defesa Civil do estado atualizaram para 134 o número de mortos, após o rompimento da Barragem 1 da Vale, em Brumadinho (MG). Desse total, 120 já tiveram as identidades confirmadas pelas autoridades. Além disso, 199 pessoas ainda permanecem desaparecidas. Ao todo, 394 foram localizadas.

Segundo o porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, a previsão é de chuva para os próximos dias, mas as condições meteorológicas não deverão representar um obstáculo, uma vez que parte do efetivo ainda está trabalhando no que chamam de área quente – região mais afetada pelo fluxo de lama e onde há maior chance de vítimas serem encontradas.

Ainda de acordo com o tenente, devido ao deslocamento da lama, foi possível encontrar três corpos de vítimas perto do que as equipes acreditam ter sido o vestiário da mineradora Vale.

Durante a coletiva de imprensa, o tenente também informou que 15 máquinas deverão auxiliar nas buscas da força-tarefa estruturada no local.

Celulares e as buscas

Todas as fotos da galeria acima foram enviadas como cortesia pelo Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais e pelo nosso colaborador Valdecy Messias, além da Força de Defesa Israelense.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Além da distribuição de chips de telefone para famílias de Brumadinho, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que, após autorização judicial, a localização dos celulares da população local foi disponibilizada para auxiliar no resgate das vítimas na região onde ocorreu, no último dia 25, o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão.

O pedido para a Justiça disponibilizar o sinal dos aparelhos partiu da Advocacia-Geral da União (AGU), que entrou com medida cautelar de urgência para que empresas de telefonia fornecessem a relação de assinantes de celulares que estavam conectados nas imediações da Mina Córrego do Feijão.

De acordo com a agência, as primeiras medidas foram tomadas às 14hs do dia do incidente, uma hora e meia após o rompimento da barragem, com o grupo de crise da Anatel interagindo com as operadoras de telefonia para avaliação, restabelecimento, reparação ou manutenção das comunicações na área afetada.

“Isso garantiu o funcionamento do sinal da telefonia e da comunicação de dados móveis mesmo com interrupção no fornecimento de energia elétrica. Os primeiros geradores a gasolina chegaram na manhã do dia seguinte [26] à tragédia quando as estações de telecomunicações dispunham ainda de carga para a manutenção das operações”, disse hoje (4) a agência.

De acordo com a Anatel, a cobertura da telefonia móvel na região foi reforçada com o aumento da capacidade das antenas instaladas e o envio de novas estações itinerantes. Também foi estabelecida uma estação móvel de 4G na banda 28 (700 MHz) para atendimento emergencial de comunicação.

Outra medida foi a possibilidade dos usuários terem serviço de roaming disponível para fazerem ligações de qualquer antena, independente da prestadora. Além disso, após autorização judicial, a localização dos celulares dos moradores de Brumadinho foi disponibilizada para auxiliar no resgate das vítimas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1
Fale agora com nossa equipe!
Powered by