132 lojas serão investigadas por preço de álcool gel e máscaras

Comerciantes terão que apresentar notas fiscais.
(SP Agora)

Uma investigação da Fundação Procon apura a prática se 132 lojas praticaram preços abusivos de álcool em gel e máscaras de proteção individual. Entre 16 e 19 de março, equipes do Procon-SP, vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania, estiveram em 179 estabelecimentos comerciais, entre farmácias, supermercados, hipermercados e outras lojas, em todo o Estado.

Os 132 pontos notificados deverão apresentar ao órgão estadual as notas fiscais de compra dos respectivos produtos e de venda ao consumidor, para verificação de eventual aumento abusivo sem justa causa. Os demais estabelecimentos não comercializavam os citados produtos no período de comparação (janeiro a março de 2020).

Notíciasrelacionadas



A Operação Corona continuará sendo realizada tanto na capital quanto no interior, atendendo também denúncias encaminhadas pelos consumidores.

Direitos

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), é caracterizado como prática abusiva elevar sem justa causa o preço de produtos ou serviços. Dessa forma, se o cliente se deparar com algum valor de produtos ou serviços relacionados ao novo coronavírus que considere abusivo, poderá registrar reclamação junto ao Procon-SP.

A Diretoria de Fiscalização solicitará esclarecimento junto ao fornecedor, que poderá responder a processo administrativo e até ser multado, caso a infração seja constatada.

*Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eu concordo com os Termos e Condições e Política de Privacidade.

Notícias relacionadas

Orelhas & Tiaras

Mais - recentes

São Paulo