Câmara de Guarulhos pode pedir interdição de aeroporto

Aeroporto de Cumbica atua sem vistoria dos Bombeiros.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Por Elaine Patricia Cruz 

(Gru Airport/Reprodução)


A Comissão Especial de Inquérito da Câmara de Vereadores de Guarulhos pode pedir a interdição do Aeroporto Internacional de Guarulhos, administrado pela GRU Airport, após terem recebido a confirmação de que ele funciona sem os autos de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).
 
De acordo com a Câmara, representantes do Corpo de Bombeiros de São Paulo informaram que o auto de vistoria do Terminal 1 expirou em abril deste ano e ainda não foi renovado. A validade do AVCB do Terminal 3 venceu em agosto e o do Terminal 2, por sua vez, nunca foi emitido. Cerca de 3,5 milhões de passageiros embarcam e desembarcam todos os meses no aeroporto.
 
Entre as irregularidades encontradas, dizem os vereadores, estão hidrantes sem água e escadas obstruídas. Segundo o presidente da comissão especial, o vereador João Dárcio Ribamar Sacchi (Podemos), um artigo do Decreto 63.911, criado em dezembro do ano passado pelo governo de São Paulo, aumentou o poder de fiscalização dos bombeiros e autorizou a interdição das edificações que descumprirem as normas de segurança.
 
Na próxima terça-feira (29), a comissão vai realizar uma nova reunião para divulgar a data em que serão feitas diligências no aeroporto por vereadores e bombeiros.
 
Por meio de nota, a prefeitura de Guarulhos informou que fiscaliza as empresas estabelecidas na cidade em relação à licença de atividade econômica. “Quanto à estrutura e a operação dos terminais de passageiros, por ser área de segurança e parte dela considerada área internacional, não há um entendimento junto a Anac [Agência Nacional de Aviação Civil] de que se trata de competência da administração municipal tal fiscalização”.

Outro lado

Procurada pela Agência Brasil, a GRU Airport, concessionária que administra o aeroporto, informou que assumiu o aeroporto em operação sem os autos de vistoria de qualquer terminal. “Desde então, realiza investimentos para adequação dos terminais e faz a manutenção constante de todos os equipamentos de combate contra incêndio já existentes em todo o complexo aeroportuário”, diz a concessionária, em nota.

A empresa informou ainda que o edifício garagem do aeroporto possui o AVCB e que obras em andamento visam a renovação do AVCB dos Terminais 1 e 3 e a emissão completa do auto de vistoria do Terminal 2. “O plano de execução sobre o tema prevê a realização de ações gradativas, de forma que o impacto sobre o fluxo de passageiros, bem como a exposição a situações de risco a todos que circulam no aeroporto sejam minimizadas. O prazo para conclusão de todos os trabalhos necessários é até janeiro de 2020”, informou.

A GRU Airport informa que possui infraestrutura de combate a incêndio em todos os
terminais capaz de atender todo o tipo de ocorrência. “No complexo aeroportuário existe um Centro de Operações de Emergência, que monitora, 24 horas por dia, sem interrupção, a rede de alarmes de incêndio. O aeroporto também possui um batalhão de Brigada de Incêndio, baseado no sítio aeroportuário, com caminhões modelo Panther 6X6 à disposição, mesmo modelo utilizado pelos maiores aeroportos do mundo”, diz a nota. 

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas