Governo de São Paulo prorroga fase emergencial

Todo o estado de São Paulo está na fase emergencial desde o dia 15 de março.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, anunciou que a fase emergencial será prorrogada em todo o estado. A medida começou no dia 15 e, inicialmente, iria até dia 30. Agora, a fase mais rigorosa do Plano SP vale até 11 de abril.

Garcia pediu para que a população do estado não use o feriado para viajar, mas para ficar em casa. “Queremos reforçar que, durante os feriados, as blitz continuarão”, afirmou o vice-governador. O governo estadual vai apoiar cidades litorâneas e ajudar com barreiras sanitárias.

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contigência, ainda incentivou os paulistas a denunciarem aglomerações que forem identificadas no estado. “Esse período de quarentena não é férias, nós ainda estamos em um momento dramático, com um número de perda de vidas cada dia maior. Vamos continuar assistindo esse cenário, de forma que é preciso que todos fiquem em casa e não se aglomerem para proteger seus familiares.”

A decisão é anunciada no mesmo dia em que São Paulo bateu um recorde de mortes pela covid-19: 1.193 óbitos em decorrência do coronavírus foram registrados nas últimas 24 horas.

A média móvel agora é de 557 mortes diárias. O estado de São Paulo está há 25 dias com tendência de alta nas mortes.

Os novos registros não significam, necessariamente, que as mortes aconteceram de um dia para o outro, mas que foram computadas no sistema neste período.

O que pode e o que não pode na fase emergencial

Cultos religiosos suspensos

Restaurantes não podem mais oferecer retirada de comida

Drive-thrus e serviços de delivery de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais poderão funcionar 24 horas por dia

Na fase emergencial, não poderão haver atividades esportivas, lojas de material de construção ficam fechadas, assim como os serviços de retirada de todos os setores.

Os cultos religiosos também estão suspensos, mas as igrejas continuam abertas para aqueles que quiserem rezar de forma individual.

Drive-thrus e serviços de delivery de restaurantes e outros estabelecimentos comerciais podem funcionar 24 horas por dia.

Há ainda um toque de recolher entre 20h e 5h. Não será permitido circular durante o período, a não ser que seja estritamente necessário.

Aglomerações estão proibidas e as máscaras são obrigatórias em ambientes internos e externos. Durante o período, paulistanos não poderão frequentar praias e parques.

Feriado na capital

A cidade de São Paulo anunciou em 18 de março que seriam antecipados cinco feriados no município para tentar conter os avanços da covid-19. O objetivo é reduzir a circulação de pessoas e, assim, frear o número de internações e mortes pela doença, que chegou nesta semana ao maior índice desde o início da pandemia.

A afirmação foi feita pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), durante coletiva de imprensa, onde também foi anunciada a primeira morte de um paciente na espera de um leito de UTI no município.

Portanto, os próximos dias 29, 30, 31 de março e 1º de abril serão feriado. Ou seja, da próxima sexta-feira (26) até o dia 4 de abril, a cidade de São Paulo não terá dias úteis. Segundo Covas, dois destes feriados são deste ano e outros três de 2022.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas