Hanseníase: Painéis em rodovias alertam para o Janeiro Roxo

Brasil registra cerca de 30 mil casos por ano
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
No Brasil, são registrados cerca de 30 mil casos por ano da doença (CCR/Reprodução)

Durante todo o mês de janeiro, as concessionárias CCR ViaOeste e CCR RodoAnel, coordenadas pela ARTESP (Agência Reguladora de Transportes de São Paulo), apoiam a campanha Janeiro Roxo, que visa a conscientizar as pessoas sobre a Hanseníase. Ao longo do mês, as concessionárias divulgarão mensagens de prevenção nos painéis eletrônicos de mensagens no Sistema Castello-Raposo e Trecho Oeste do Rodoanel. A ação é uma parceria com a SBH-Sociedade Brasileira de Hansenologia.

No Brasil, são registrados por ano 30 mil novos casos da hanseníase, o que coloca o País como o segundo no mundo com mais casos da doença, atrás apenas da Índia. O tratamento é gratuito em todo o território nacional e, em 2017, o Ministério da Saúde instituiu o mês de janeiro e a cor roxa para conscientização sobre a hanseníase.

A hanseníase



A doença pode provocar o surgimento de caroços e placas em qualquer local do corpo e diminuição da força muscular, além de ser a doença infecciosa que mais cega. Se for diagnosticada a tempo, as sequelas podem ser controladas e o paciente terá uma vida normal.

Os sinais de alerta são manchas esbranquiçadas ou avermelhadas na pele, além da alteração ou perda da sensibilidade ao calor, frio, dor e ao toque. A pessoa com a doença também pode ter áreas de dormência e sensação de formigamento e fisgadas no corpo, além de diminuição da força muscular, podendo apresentar dificuldade para segurar objetos.

Os exames de laboratório conseguem identificar menos de 50% dos casos, mas a SBH alerta que o exame clínico é suficiente para o diagnóstico.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas