Aquário de Santos completa 75 anos

Atração turística agora também atrai visitantes pela internet.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Um sentimento de saudade da infância e muitas memórias de lazer em família invadem nossas lembranças quando pensamos no Aquário. Desde que foi inaugurado, em 1945, o parque – atualmente fechado como medida de prevenção ao coronavírus – cativa o coração de moradores e turistas e não é apenas uma opção de passeio, mas também, e principalmente, uma referência que marca várias gerações familiares.

(Arquivo/Isabela Carrari/Pref. de Santos)

É o caso de Clarisse Pinto da Mota, de 74 anos. Nascida em Campinas, chegou a Santos aos 9 anos, trazida pela irmã, e pouco depois conheceu o ponto turístico. Ela nunca mais saiu da Cidade e, desde então, o Aquário tem sido compromisso para o lazer. Seja quando criança ou anos mais tarde, com os filhos e netos.

Casada com José Afonso da Mota, de 84 anos, mãe de dois filhos e avó de cinco netos, ela visitou o parque várias vezes na infância. “Me lembro do leão-marinho, da foca, das tartarugas. Eu passeava pelos corredores, ficava horas vendo os peixes”, conta.

Filhote de tubarão-gato que nasceu no aquário (Arquivo/Susan Hortas/Pref. de Santos)

Com o passar dos anos, ela deixou de ir ao Aquário, mas o passeio voltou a ser feito após o nascimento da filha mais velha, Débora Mota Nunes da Silva, hoje com 49 anos. Depois, com o filho Rogério, de 44.

Clarisse transferiu para a família a paixão pelo equipamento. Tanto é que Débora fez com que os filhos João Pedro, de 24 anos, e Rebeca, de 22, conhecessem o parque quando ainda eram bebês.

“Na minha época, a atração era o Macaé. Era mágico ver tudo aquilo. Depois vieram os meus filhos e quando levei a Rebeca, por exemplo, ela não tinha nem um mês de vida, eu ainda me recuperava da cesárea”, conta Débora. A caçula Rafaela, 9 anos, não poderia ficar para trás e já conhece bem o ponto turístico.

E, pelo visto, o carinho pelo Aquário chegou aos netos. “Eu passava férias na casa dos meus avós e eles me levavam sempre. É um local onde um dia eu levarei meus filhos, com certeza. Adorava ver o Macaezinho, os tubarões”, conta João Pedro. Segundo Rebeca, uma de suas lembranças é o tanque sensorial, onde o público podia tocar alguns animais marinhos. “Me lembro bem desse tanque, da experiência de tocar em um ouriço. Me marcou muito”.

A família de Clarisse, com ela, ao lado do marido, no centro da foto

Guilherme Negrin tem 43 anos e, desde 2019, mora com a família em Goole, cidade ao norte da Inglaterra, onde trabalha como operador de empilhadeira. Nascido em Jundiaí (SP), residiu em Valinhos (SP) e vinha a Santos durante as férias. O Aquário era ponto certo para passeios na infância.

Guilherme (à frente), com mulher e filhos

“Comecei a ir bem novo com meus pais, pelo menos duas vezes por ano. O que mais me chamava a atenção eram o leão-marinho, os tubarões e os pinguins. Tenho um carinho especial pelo Aquário, marca uma época em que não tínhamos a responsabilidade da vida adulta”.

Depois de casar e ter filhos, Negrin manteve o hábito dos passeios ao parque, mesmo sem morar em Santos. A esposa, Fernanda, e os filhos Nicolas, de 18 anos, e Anna Giulia, de 15, também conhecem o Aquário. À distância, a vontade de voltar ao local permanece. “Quando formos visitar nossos parentes no Brasil, vamos retornar ao Aquário”.

E há quem ainda não tenha ido ao Aquário, mas se apaixonou pelo local só de conhecê-lo pela internet. Davi Silva, de apenas 10 anos, mora em Cubatão. No último dia 1º de junho, durante a quarentena em função da pandemia, ele acompanhou uma live realizada dentro do parque, transmitida pela página do Facebook da Prefeitura, e simplesmente se encantou.

Davi conheceu o parque pela internet

“Sempre gostei da vida marinha, assisto a programas na TV, filmes sobre histórias no mar. Quando comecei a acompanhar a live, fiquei impressionado”. A surpresa foi tão boa que Davi até confessou nos comentários, durante a transmissão da live, ter sido o seu melhor dia de isolamento. “É incrível! Quero conhecer pessoalmente e, no futuro, ser biólogo”.

Por Maria Estela Galvão – via Prefeitura de Santos

Acompanhe nossos Podcast
Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast