Com 18 mortes, terminam buscas em Franco da Rocha

Estado contabiliza 34 mortes provocadas pela chuva na semana

Após a localização das 18 vítimas do deslizamento de terra em Franco da Rocha, na Grande São Paulo, o Corpo de Bombeiros encerrou as buscas na cidade. Foram cinco dias de trabalho.

Dados atualizados na noite de hoje (4) mostram que o número de mortes chegou a 34 no Estado de São Paulo. A chuva ainda deixou 14 pessoas feridas e 5.77 famílias desalojadas ou desabrigadas.

Desalojados são aqueles que se viram forçados a deixarem suas casas e estão morando na casa de outras pessoas. Já os desabrigados se deslocaram para abrigos públicos após terem suas casas danificadas ou ameaçadas pelas chuvas.

A Defesa Civil informou que as ocorrências, como deslizamentos, alagamentos, quedas de árvores e muros, foram registradas em 39 municípios do estado. Franco da Rocha, na Região Metropolitana de São Paulo, foi a mais afetada, com 18 mortes.

Também registraram óbitos nas cidades de Itapevi (1 morte), Arujá (1), Francisco Morato (4), Embu das Artes (3), Várzea Paulista (5), Jaú (1) e Ribeirão Preto (1).
 
A Defesa Civil forneceu, até o momento, 1.012 cestas básicas, 1.316 kits de higiene/limpeza  e 1.154 kits dormitório. O governo do estado anunciou, no domingo (30), a liberação de R$ 15 milhões para um total de 10 cidades. 

Os recursos anunciados estão sendo destinados aos municípios de Arujá (R$ 1 milhão), Francisco Morato (R$ 2 milhões), Embu das Artes (R$ 1 milhão) e Franco da Rocha (R$ 5 milhões), na Região Metropolitana de São Paulo, e Várzea Paulista (R$ 1 milhão), Campo Limpo Paulista (R$ 1 milhão), Jaú (R$ 1 milhão), Capivari (R$ 1 milhão), Monte Mor (R$ 1 milhão) e Rafard (R$ 1 milhão), no interior do estado.

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.