Guarulhos revoga decreto que suspendia servidores sem vacina

Câmara percebeu erro e viu que todos os servidores estão imunizados
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Câmara de Guarulhos/via Agência Brasil)

O decreto da Câmara Municipal de Guarulhos que determinava a suspensão do contrato de mais de 100 servidores que não teriam apresentado cartão de vacinação contra a covid-19 foi revogado. A orientação começou a valer na última sexta-feira (22), mas o presidente da Câmara Municipal de Guarulhos, o vereador Fausto Miguel Martelo, voltou atrás. Uma portaria cancelou os efeitos do decreto que suspendia o contrato de trabalho de 137 servidores entre concursados, vereadores e comissionados.

Isso porque, de acordo com informações da própria Câmara Municipal, dos nomes que estavam na primeira lista, divulgada na sexta-feira, 128 já tinham apresentado comprovantes de vacinação ao serviço médico da casa, mas por problemas internos não foram contabilizados; e 9 pessoas eram servidores aposentados, exonerados ou em licença médica.

Com isso, fica comprovado que todos os trabalhadores, servidores e vereadores da Câmara Municipal de Guarulhos estão com a carteira de vacinação da covid-19 em dia.

Guarulhos foi uma das primeiras cidades do país a exigir o chamado passaporte de vacinação contra a covid-19 para permitir acesso de pessoas a eventos e locais públicos, como bares, cinemas e restaurantes.

Desde o dia 26 de agosto, há um decreto na cidade obrigando funcionários da administração pública direta ou indireta a se vacinarem.

Atualmente a cidade tem mais de 77% de sua população com a imunização completa em duas doses ou pela vacina de dose única.

Por Agência Brasil

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas