Vacinação empolga e 55% dos paulistas retomam plano de viagens

Preocupação com a covid-19 continua, mas 13,5 milhões planejam viagens turísticas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Gov. do Estado de SP)

Um estudo feito pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) mostrou que o avanço da vacinação fez a maioria dos paulistas voltar a incluir viagens nos planos. O levantamento ressalva que ainda há preocupação com as medidas de enfrentamento à covid-19, mas 55% dos moradores querem pegar a estrada nos últimos meses deste ano e começo de 2022.

O levantamento ouviu mais de quatro mil pessoas, de todas as regiões do estado. Os que planejam fazer as malas ainda em 2021 somam 13,5 milhões – São Paulo tem 44,9 milhões de habitantes. O estudo ainda detalhou os destinos mais prováveis: são viagens para dentro do próprio Estado (4,6 milhões), outros Estados (6,8 milhões) e exterior (2,2 milhões).

A pesquisa, feita em agosto, revela ainda como a vacinação influencia no tipo de roteiro. Por mais segurança, em janeiro de 2021, 75% disseram que pretendiam viajar dentro do próprio estado, no que passou a ser chamado de “turismo de proximidade”: poucos dias, para distâncias de até 300 quilômetros. Agora são 34%, o que confirma a importância da vacinação em São Paulo para a retomada das viagens em todo o país – o estado é o principal “exportador” de turistas.

Lazer é o motivo principal para 72% dos que planejam viajar ainda em este ano, percentual que cai para 68% no ano que vem. O turismo de negócios deve ter recuperação mais forte em 2022, mas nove de cada dez paulistas dizem que se preocupam com as medidas de enfrentamento nos destinos a serem visitados. O levantamento da Seade foi realizado em parceria com as secretarias estaduais de Governo e de Turismo e Viagens.

Outras tendências:

• A compra/reserva acontece mais perto da data da viagem;

• A maioria das viagens será na companhia de familiares, independente do roteiro;

• Para 45% dos que não vão viajar em 2021 e 2022 o motivo principal é a falta de condições financeiras;

• Predominam os planos de viagem de até uma semana

Segundo o Governo do Estado de São Paulo, a retomada começa a influenciar na geração de empregos. Segundo o Centro de Inteligência da Economia do Turismo (CIET), da Secretaria de Turismo e Viagens, desde maio o saldo de vagas formais do setor – média entre demissões e contratações – acumula resultados positivos, devendo fechar 2021 com 62 mil postos com carteira assinada criados.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas