Emprego ou negócio próprio: quando trocar estabilidade por uma franquia?

Avaliar as prioridades é essencial para a 'alma' do negócio

Por Camila Felix

Camila Felix, fundadora da The Shaky (Léo Barrilari/The Shaky/Divulgação)

Engana-se quem acha que é fácil ser empreendedor. Requer-se muita coragem daquele que sonha em ter o próprio negócio. Na maioria das vezes é necessário que nós, empreendedores, façamos uma escolha entre o trabalho estável e nosso negócio, pois não há tempo hábil para exercer ambas as funções.

Notíciasrelacionadas

Antes de qualquer coisa, o candidato a empreendedor deve avaliar alguns critérios como: se seu negócio será sua prioridade; verificar se vale a pena investir na sua ideia; e buscar um diferencial. Tenha em mente que o sucesso não acontecerá de imediato, é preciso muito empenho e dedicação para que o negócio torne-se bem-sucedido. Além do mais, esteja preparado para trabalhar muito, você precisará de foco e muita energia para garantir a produtividade do empreendimento. Depois de verificado as condições para adentrar no mercado de negócios, deverá medir seu grau de afinidade com o ramo escolhido.

Atualmente temos ramos diversos a serem empreendidos, inclusive negócios de sucesso que, também, podem ser adquiridos a partir do modelo de franquias disponíveis no mercado. O modelo de franquias tem crescido a cada dia, só em 2017, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor cresceu 7% no quesito faturamento e prospecta para 2019 um aumento entre 8% e 10% em comparação ao ano anterior.

As franquias não estão presentes apenas nas grandes metrópoles, podemos encontrá-las, também, em pequenas cidades do interior. Isso faz parte do processo de expansão das redes de franquias, o que gera crescimento para a marca, bem como desenvolvimento a estas regiões, cria empregos e possibilita que a marca seja conhecida pelo público interiorano.

Temos, inclusive, exemplos de marcas que nasceram nesses pequenos municípios. A The Shaky, foi criada na cidade de Lins, interior de São Paulo pela advogada Camila Felix que começou seu negócio com a ajuda de sua avó em um espaço de 30m², e virou point de encontro dos linenses. Após experienciar tamanho sucesso, a rede ganhou espaço no mercado e expandiu-se Brasil adentro e, também, internacionalmente.

Atualmente a franqueadora conta com 10 lojas, sendo duas delas no Paraguai. No primeiro semestre de 2018, a corrente de comércio entre Brasil e Paraguai foi de mais de 2 bilhões de dólares, número 5,7% maior com o mesmo período do ano passado e de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), existem 129 redes brasileiras em operação no exterior.

Sobre Camila Felix

Camila Felix é formada em Direito pela faculdade Unimep Lins e já trabalhou no setor público. A empresária é atuante do franchising desde 2015 e é uma das sócias fundadoras da rede de sorvetes criativos, The Shaky.

Notícias relacionadas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eu concordo com os Termos e Condições e Política de Privacidade.

Orelhas & Tiaras

Mais - recentes

São Paulo