Escritor ensina como divulgar livros em tempos de crise

O uso da tecnologia na educação permite maior acessibilidade no século atual.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Escritor ensina como divulgar livros em tempos de crise
Divulgação

As vendas de livros no Brasil caíram bastante desde o início da crise causada pela pandemia da Covid-19 e o cenário segue pouco favorável para os autores, editoras e livreiros.

“A queda do mercado editorial continua e deve seguir em 2020, por isso os autores e editoras devem usar a criatividade para fazer a diferença na hora de divulgar seus livros”, sugere o escritor João G. Brene, autor dos livros da trilogia de ficção, fantasia e aventura Johnny Bleas.

“Não podemos achar que os livros se venderão sozinho. Exceto pelos best sellers, quando a mídia e a divulgação já são grandes. É fato que autores nacionais e os novatos no mercado editorial precisarão se comunicar com seus nichos de maneira direta. Buscando alternativas às livrarias tradicionais”, comenta o autor.

Mesmo o mercado editorial para livros didáticos sofreu quedas. Por isso, escolas em diversos lugares do Brasil têm adotado livros digitais para seus alunos.

“As tecnologias digitais impactam cada vez mais a educação. É deveras tendência a redução do uso de impressos na rotina dos alunos, principalmente nos ensinos médio e educação superior. O uso da tecnologia na educação não só permite maior acessibilidade como também é ferramenta de transformação no século atual”, diz ele.

Romances, aventuras, fantasia, ficção, não devem sofrer impactos

Para Brene, mesmo em meio a uma crise, alguns gêneros literários conseguem se sobressair, como o romance, por exemplo.

Acredito que mesmo com crises em vista, os gêneros narrativos como os romances, ainda tem seu espaço. Os grandes fãs de literatura marcam presença nas compras de seus autores de preferência”, destaca o autor da trilogia Johnny Bleas.

Segundo ele, apesar de ser uma tendência, o digital é responsável pela diminuição das vendas dos livros tradicionais, mas ao mesmo tempo despertou o interesse das pessoas para a leitura.”Essa é uma tendência global. O digital veio para ficar, não há processo de retrocesso neste avanço tecnológico. Uma vantagem deste formato de leitura é que o acesso aos livros aumentou devido ao menor custo dos formatos digitais! Vejo este como um grande avanço à cultura, afinal como autor o grande sonho é uma pátria leitora!”, finaliza João G. Brene, que além de escritor, é especialista em produção de material editorial digital.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas