Instituto Moreira Salles retrata obra de Clarice Lispector em exposição

Mostra sobre Clarice Lispector fica em cartaz até fevereiro de 2022
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Clarice Lispector durante entrevista à TV Cultura (Instituto Moreira Salles/Reprodução)

A partir de hoje (23), o Instituto Moreira Salles (IMS) exibe uma exposição com trabalhos de artes visuais, além de outros 300 itens, incluindo manuscritos, fotografias, cartas, discos e matérias de imprensa, entre outros documentos, do acervo pessoal da escritora Clarice Lispector.

A exposição Constelação Clarice contará também com obras de 26 artistas visuais mulheres, que atuaram na mesma época de Clarice, entre as décadas de 1940 e 1970. No conjunto, há trabalhos de Maria Martins, Mira Schendel, Fayga Ostrower, Lygia Clark, Letícia Parente, Djanira Celeida Tostes, entre outras.

A mostra, que tem a curadoria do poeta Eucanaã Ferraz, consultor de literatura do IMS, e da escritora e crítica de arte Veronica Stigger, investiga a obra poética da escritora Clarice Lispector (1920-1977), identificando temas e recursos estéticos presentes em sua produção. Ocupando dois andares do IMS Paulista, a exposição celebra a obra e o legado de Clarice, cujo centenário foi comemorado no ano passado.

A exposição é montada em 11 núcleos nos quais são apresentadas esculturas, pinturas, desenhos, fotografias e vídeos de artistas que dialogam com trechos de textos de Clarice, formando uma teia de novos significados. Na entrada da mostra, o público encontra a escultura Calendário da eternidade, da artista Maria Martins, que também participa da exposição com outros trabalhos.

Clarice Lispector (Instituto Moreira Salles/Reprodução)

De formato circular, a obra remete à ideia de continuidade, tema presente na produção de Clarice. Em seguida, são exibidas 18 pinturas de autoria da própria escritora, produzidas entre 1975 e 1976, sem pretensão profissional.

Paralelamente à mostra será lançado um catálogo com textos críticos de especialistas na obra de Clarice, como Alexandre Nodari, Carlos Mendes de Sousa, Evando Nascimento, João Camillo Penna, José Miguel Wisnik, Nádia Battella Gotlib, Paulo Gurgel Valente, Yudith Rosenbaum e Vilma Arêas. A publicação estará à venda na Livraria IMS por Travessa, localizada no centro cultural, e na loja online.

Como parte da programação da mostra, haverá ainda um debate online no dia 26 (terça),às 18h, com transmissão ao vivo no Facebook e YouTube do IMS. A conversa será sobre os originais do livro A hora da estrela, que integram o acervo do IMS e serão exibidos na exposição. O debate terá a presença das escritoras Ana Maria Machado e Paloma Vidal, de Jessica Nelson, cofundadora da Les Saint Pères, e de Bruno Cosentino.

Em cartaz até fevereiro de 2022, a exposição contará com uma ampla programação, que será divulgada posteriormente nos canais do IMS. Conteúdos sobre a autora também podem ser acessados no portal bilíngue dedicado à escritora, lançado pelo IMS no ano passado. A entrada é gratuita, com agendamento prévio pelo site do IMS.

Por Agência Brasil

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas