Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Memorial do Holocausto lembra 80 anos da Noite dos Cristais

Mais de 6 milhões de judeus foram mortos.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Daniel Mello/Agência Brasil

Memorial do Holocausto, que vitimou durante a Segunda Guerra Mundial mais de 6 milhões de judeus, é exposto no Memorial da Imigração Judaica e do Holocausto (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Na noite do dia 9 para o dia 10 de novembro de 1938 o governo alemão, sob o regime nazista, autorizou o ataque físico aos judeus. Sinagogas, casas e lojas foram depredadas e queimadas. Mais de 30 mil judeus foram presos e 100 assassinados. O episódio ficou conhecido como a Noite dos Cristais pelos cacos das vitrines e janelas que cobriam as ruas no dia seguinte.

Os 80 anos da data são lembrados nesta noite desta segunda-feira (12) em uma cerimônia no Memorial da Imigração Judaica e do Holocausto no Bom Retiro, região central da capital. A instituição foi inaugurada há um ano e já recebeu mais de 15 mil visitas.



O ato pretende reunir a comunidade judaica, sobreviventes do Holocausto e autoridades. Na oportunidade, serão lançados o terceiro e quarto volume da coleção Vozes do Holocausto das pesquisadoras Maria Luiza Tucci Carneiro e Rachel Mizrahi. As obras trazem mais de 300 relatos de refugiados do nazifascismo e de sobreviventes do massacre dos judeus. As autoras fazem parte do Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação (LEER) da Universidade de S. Paulo (USP).

Também será lançado o livro de fotos Sobreviventes do Holocausto do fotógrafo e membro da curadoria do memorial Luiz Rampazzo.

O início do Holocausto

Até a Noite dos Cristais, a Alemanha, sob o comando dos nazistas, havia adotado diversas leis e medidas discriminatórias contra os judeus, mas foi a partir desse momento que começou a violência física. Por ordem de Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda e uma das principais figuras da cúpula nazista, foi autorizada a destruição das propriedades dos judeus no território alemão.

“O Estado oficializou. Era permitido esse massacre, e a população foi conivente. Os policiais e os bombeiros foram proibidos de intervir a favor dos judeus. Só era permitido intervir se ameaçasse algum cidadão alemão ou algum imóvel, algum prédio de residência dos alemães”, explica a historiadora e orientadora pedagógica do memorial, Ilana Iglicky.

As turbas destruíram cerca de 7,5 mil lojas e 1,4 mil sinagogas naquela noite. Ilana conta que em Viena, capital da Aústria, apenas uma sinagoga sobreviveu. “Ela começou a pegar fogo, foi incendiada pela população. Um bombeiro acabou apagando o fogo porque viu que poderia incendiar um prédio ao lado de moradores vienenses”, conta.

Resistência ao terror

Apesar dos horrores que levaram à morte aproximadamente 6 milhões de judeus, a professora destaca que é importante lembrar que muitas pessoas se opuseram ao regime e ajudaram a salvar os perseguidos. “Temos a nossa querida Aracy Guimarães Rosa que emitiu vistos, mesmo contra as ordens do governo brasileiro, para várias famílias judias e, assim, conseguiu salvar várias pessoas”, ressalta sobre a segunda esposa do escritor João Guimarães Rosa que trabalhou no consulado brasileiro em Hamburgo.

Manter viva a lembrança das atrocidades é fundamental, segundo Ilana, para evitar que situações assim se repitam no presente ou no futuro. “É importante lembrar para não voltar a acontecer. Infelizmente, ainda hoje nós temos os que negam o holocausto e muitos atos de xenofobia acontecendo no mundo inteiro. Acho que o mundo não aprendeu ainda. Acho que temos que, sim, lembrar para que as pessoas possam ter mais tolerância e consigam viver com harmonia.”

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast

SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
As últimas notícias de São Paulo e do Brasil.
As manchetes dos principais jornais do país
by SPAGORA

Você vai ouvir na voz do repórter Paulo Édson Fiore as manchetes dos principais jornais brasileiros.

As manchetes dos principais jornais do país
Comandante da PM afasta policial após ele apreender carro de vereadora
As manchetes dos principais jornais do país

Outras - notícias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest