Queermuseu: Exposição já foi visitada por mais de 14 mil

Expectativa é receber 60 mil pessoas do RJ.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Vinícius Lisboa/Agência Brasil

(Tomaz Silva/Agência Brasil)

Dez dias depois da inauguração na Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage, no Rio de Janeiro, a exposição “Queermuseu – Cartografias da Diferença na Arte Brasileira” superou as previsões de público ao receber 14 mil visitantes desde 18 de agosto.

Segundo o diretor da EAV, Fabio Szwarcwald, o total de visitantes pode chegar a 60 mil até o fim da temporada, em 16 de setembro.

 Exposição Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, no Parque Lage, no Rio.
Exposição Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, no Parque Lage, no Rio (Tomaz Silva/Agência Brasil)

“Tínhamos uma expectativa de umas 30 mil pessoas, e a gente acha que deve dobrar. Devem vir umas 60 mil pessoas ou mais para ver a exposição”, disse o diretor, que afirmou que o número supera qualquer exposição já recebida pelo Parque Lage. “Isso mostra a importância de promover cultura, promover diversidade”.

A exposição foi viabilizada por uma campanha de doações online (crowndfunding) que arrecadou R$ 1,081 milhão com a contribuição de mais de 1,6 mil pessoas.

A mobilização foi um esforço para reabrir a exposição depois que ela foi fechada pelo Santander Cultural em 2017, em meio a ataques de setores conservadores que acusavam a mostra de promover a pedofilia e a zoofilia. Após o fim antecipado, os produtores chegaram a negociar com o Museu de Arte do Rio (MAR), que é ligado à prefeitura, mas acabou vetada pelo prefeito Marcelo Crivella.

Fabio Szwarcwald conta que o público – depois de conferir obras de artistas como Adriana Varejão, Bia Leite, Cândido Portinari e Lygia Clark – se surpreende com a polêmica gerada à época.

“As pessoas ficam muito impressionadas com o que elas veem e até surpresas”, diz, afirmando que a exposição foi muito difamada, mas pouco vista. “Elas não veem nada que fizesse sentido para todo esse movimento conservador.”

 Exposição Queermuseu: Cartografias da Diferença na Arte Brasileira, no Parque Lage, no Rio.
(Tomaz Silva/Agência Brasil)

No Dia Nacional da Visibilidade Lésbica, lembrado hoje (29), a exposição é uma opção para ter contato com a obra de artistas que abordaram a temática. “A exposição é muito mais potente quando você vê o conjunto das obras reunidas nesse espaço. Você tem obras da Bia Leite, obras do Alair Gomes, e de outros artistas que orbitam sobre esse tema. O nosso grande diferencial foi reunir todas essas pessoas para trabalharem juntas”.

Além da exposição, o Parque Lage sedia uma programação de atividades culturais e debates com foco na diversidade. Na próxima quinta-feira (30), o espaço sediará um debate sobre Estudos Queer, com Amara Moira, Helder Thiago Maia, Jaqueline Gomes de Jesus e Simone Rodrigues.

Acompanhe nossos Podcast
Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast

SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
As últimas notícias de São Paulo e do Brasil.
As manchetes dos principais jornais do país
by SPAGORA

Você vai ouvir na voz do repórter Paulo Édson Fiore as manchetes dos principais jornais brasileiros.

As manchetes dos principais jornais do país
Comandante da PM afasta policial após ele apreender carro de vereadora
As manchetes dos principais jornais do país