Theatro São Pedro traz rivalidade entre Mozart e Salieri

Espetáculo presencial reúne duas óperas de compositores russos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Gov. do Estado de SP)

A ópera está de volta ao palco do Theatro São Pedro, instituição do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado, gerido pela organização social Santa Marcelina Cultura. No próximo final de semana, estreia um espetáculo com dois títulos de compositores russos: Renard, de Igor Stravinsky, que lembra os 50 anos de morte do compositor, e Mozart e Salieri, de Nikolai Rimsky-Korsakov. As récitas acontecem no sábado, dia, 26, às 18h, e no domingo, dia 27, às 17h. Os ingressos custam R$30 (inteira) e R$15 (meia). 

O espetáculo conta com direção musical de André dos Santos, que comanda a Orquestra do Theatro São Pedro, direção cênica de William Pereira, iluminação de Caetano Vilela, coreografia de Anselmo Zolla e produção de figurino de Fabio Namatame.  A montagem tem a participação de quatro bailarinos e um elenco formado por Savio Sperandio, (Salieri), Giovanni Tristacci (Mozart), Daniel Umbelino (tenor) e Anderson Barbosa (baixo).

“As duas óperas são interessantíssimas pelo tema que tratam e pela proximidade temporal de suas composições, além da proximidade dos seus autores. É um programa que tem uma riqueza muito grande no momento em que coloca próximos Stravinsky, e Rimsky-Korsakov, dois compositores fundamentais da música russa. Existem muitas relações entre os dois compositores. Ter em um mesmo programa os dois é poder proporcionar ao público uma descoberta porque essas relações não são necessariamente de sintonia e convergência de pensamento composicional musical. Essa proximidade também  coloca em evidência as diferenças entre os dois”, destaca Paulo Zuben, diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura.  

RENARD 

Composta entre 1915 e 1916, Renard estreou somente em 1922, em um espetáculo dos Ballets Russes, companhia de Diághilev, na Ópera de Paris., em um programa duplo, ao de lado de  Mavra. A coreografia foi de Bronislawa Nijinska (irmã do célebre Vaslav Nijinsky), que dançou o papel da Raposa. Conto da Raposa, Galo, Gato e Carneiro – ou simplesmente Renard (Raposa), como ficou conhecida na tradução francesa do suíço Ramuz, parceiro do compositor em obras como A História do Soldado Les Noces (As Bodas). Com libreto baseado em contos folclóricos russos, Renard mostra em cena quatro animais, o galo, a raposa, o gato e o bode. Ela foi criada para que os atores não deixassem o palco. Cada animal representa, em cena, características um tanto quanto humanas, transitando pela ironia de forma provocativa. Stravinsky escreveu na partitura: “A peça é representada por palhaços, dançarinos ou acrobatas, se possível em tablados montados diante da orquestra. Os atores não deixam o palco um só instante. Apresentam-se diante do público ao som de uma pequena marcha que serve de introdução e saem da mesma maneira”. 

Na montagem que sobe ao palco do Theatro São Pedro, teremos quatro bailrinos com coreografia de Anselmo Zolla e a participação dos cantores Daniel Umbelino e Giovanni Tristacci (tenores) e Anderosn Barbosa e Savio Sperandio (baixos).  

MOZART e SALIERI  

Aleksandr Púchkin (1799-1837) criou a primeira elaboração estética do mito de um Salieri invejoso, que assassina o talentoso Mozart: a peça em um ato Mozart e Salieri é uma das quatro Pequenas Tragédias que ele escreveu em meio a uma quarentena, por uma epidemia de cólera, em 1825. Em 1897, Nikolai Rímsky-Korsakov compôs uma ópera a partir do libreto de Púchkin, praticamente na íntegra, fazendo apenas pequenos cortes na fala de Salieri.   A primeira audição doméstica da partitura teve ao piano ninguém menos que Serguei Rachmaninov. A estreia ocorreu em novembro de 1898, na Ópera Privada Russa de Moscou, com cenografia do célebre pintor Mikhail Vrúbel (1856-1910).  

A suposta rivalidade entre Mozart e Salieri foi ainda tema da peça do escritor britânico Peter Shaffer Amadeus (1979), que inspirou o filme homônimo de Milos Forman.  

Com direção audiovisual de Giuliano Saade, o espetáculo será gravado e transmitido posteriormente pelo canal de YouTube do Theatro São Pedro: youtube.com/TheatroSaoPedroTSP 

Bilheteria 

Não haverá venda de ingressos na bilheteria do Theatro São Pedro. Os ingressos para todos os espetáculos devem ser adquiridos exclusivamente pelo site: https://theatrosaopedro.byinti.com/ 

SERVIÇO:  

RENARD | IGOR STRAVINSKY 

MOZART e SALIERI | NIKOLAI RIMSKY-KORSAKOV
Libreto: Alexander Pushkin 

ORQUESTRA DO THEATRO SÃO PEDRO
André dos Santos, direção musical e regência
William Pereira, direção cênica
Caetano Vilela, iluminação
Anselmo Zolla, coreografia
Fabio Namatame, produção de figurino
Giuliano Saade, direção de audiovisual 

Elenco | Renard
Giovanni Tristacci, tenor
Daniel Umbelino, tenor
Sávio Sperandio, baixo
Anderson Barbosa, baixo

Bailarinos
Alexandre Nascimento, Gato
André Neri, Bode
Jefferson Damasceno, Raposa
Joaquim Tomé, Galo 

Elenco | Mozart e Saliei 

Giovanni Tristacci, Mozart
Sávio Sperandio, Salieri

Coro
Ludmilla Thompson, soprano
Luisa Aguilar, soprano
Fernanda Nagashima, mezzo-soprano
Nathália Serrano, mezzo-soprano
Daniel Umbelino, tenor
Mikael Coutinho, tenor
Anderson Barbosa, baixo
Gustavo Lassen, baixo 

DATAS: 26 de junho, sábado. 18h
27 de junho, domingo, 17h
LOCAL: Theatro São Pedro
ENDEREÇO: Rua Barra Funda, 161 – Barra Funda, São Paulo/SP
INGRESSOS: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
MANUAL DO ESPECTADOR: https://theatrosaopedro.org.br/manual-do-espectador-2021/

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas