Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Bayern vence PSG de Neymar e leva hexacampeonato

Clube é o terceiro maior vencedor da competição.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Com uma campanha irreparável, na qual venceu todas as 11 partidas que disputou, o Bayern de Munique se sagrou hexacampeão da Liga dos Campeões neste domingo (23/08) ao vencer o Paris Saint-Germain por 1 a 0 no Estádio da Luz, em Lisboa, graças a um gol de Kingsley Coman, cria da base da equipe francesa.

(Julian Finney/UEFA/UEFA)

Coman chegou ao PSG com apenas 8 anos de idade, em 2004, e permaneceu no clube até 2014, quando foi para a Juventus, a qual trocou pelo Bayern em 2016. Ele atingiu agora o clímax da carreira ao aproveitar cruzamento de Kimmich e marcar de cabeça aos 14 minutos do segundo tempo.

Na chamada ”era moderna” da Champions League, iniciada em 1992, jamais uma equipe havia vencido todas as suas partidas, e o Bayern, que já havia faturado a taça em 1974, 1975, 1976, 2001, 2013, o fez em grande estilo, com destaque para a goleada sobre o Barcelona de Lionel Messi por 8 a 2 nas quartas de final.

Agora, o time é o terceiro maior vencedor da competição, ao lado do Liverpool e atrás apenas de Real Madrid (13 triunfos) e Milan (7).

Esta é a segunda vez que o Bayern consegue ganhar a chamada tríplice coroa, ao vencer na mesma temporada a Bundesliga, a Copa da Alemanha e a Champions League. A primeira vez foi em 2013.

Já o Paris Saint-Germain, finalista pela primeira vez, terá que fazer nova tentativa para obter seu primeiro título na Champions League. Desde a chegada do xeque Nasser Al-Khelaifi, em 2010, foram nada menos que 43 contratações em busca do título europeu, incluindo a mais cara de toda história, a do atacante brasileiro Neymar, pelo qual foram pagos 222 milhões de euros ao Barcelona em 2017.

As duas equipes contaram com retornos importantes para a decisão. No PSG, embora o meia Verratti tenha ficado no banco por não estar 100% fisicamente, o goleiro Navas retornou de lesão e fez grandes defesa. O zagueiro Thiago Silva, que fez o jogo de despedida do clube parisiense após oito anos, foi titular, assim como Marquinhos, que atuou como volante, e Neymar.

No Bayern, o atacante Coman retomou a titularidade, e com isso Perisic começou entre os reservas, enquanto o zagueiro Boateng, que era dúvida, até atuou, mas teve uma recaída e deu lugar a Süle ainda no primeiro tempo. O meia espanhol Thiago Alcantara, filho de Mazinho, campeão mundial pela seleção brasileira em 1994, também apareceu na formação inicial de Hansi Flick.

O jogo foi lá e cá desde o começo, e quem teve a primeira chance de abrir o placar foi o PSG. Mbappé preparou dentro da área para Neymar, que chutou rasteiro de pé esquerdo, e Neuer defendeu com o pé. No rebote, o próprio camisa 10 tentou, mas novamente parou no arqueiro alemão.

A resposta do octocampeão alemão foi dada oito minutos depois. Davies lançou da esquerda para a área até Lewandowski, que girou e bateu sem muita força, mas tirando de Navas. A bola beijou a trave, e a defesa afastou.

Referência do ataque do Bayern e artilheiro desta Champions, com 15 gols, Lewandowski voltou a incomodar aos 31. Kimmich levantou, a bola desviou em Kimpembe, e o centroavante cabeceou a queima-roupa. Navas espalmou no susto e depois encaixou.

O PSG teve tudo para ir para o intervalo em vantagem, mas desperdiçou grande oportunidade aos 45. Alaba cochilou na saída de bola, Mbappé acionou Herrera, que devolveu com açúcar, mas o atacante francês concluiu sem força, e Neuer pegou.

Mais incisivo depois do intervalo, o time bávaro fez 1 a 0 aos 14 minutos da segunda etapa. Müller abriu na direita para Kimmich, que levantou nas costas de Kehrer até Coman, que cabeceou no canto esquerdo e superou Navas.

Em lance parecido, três minutos depois, Coman mais uma vez apareceu para completar de cabeça na esquerda, e de novo tirou do goleiro costarriquenho, mas Thiago Silva cortou em cima da linha.

Passado o baque, o PSG voltou a criar. Aos 24 minutos, Di María adiantou para Marquinhos, que chutou em cima de Neuer. Aos 28, Neymar recebeu de Bernat e buscou o ângulo esquerdo, mas errou o alvo.

A partir de então, o Bayern controlou o máximo que pôde, inclusive mantendo a bola no ataque por bastante tempo. O tricampeão francês ainda fez algumas investidas, mas infrutíferas. Aos 46 minutos, Mbappé passou para Neymar, que bateu cruzado, mas Choupo-Moting não conseguiu desviar para a rede. Aos 48, em mais uma trama entre o francês o brasileiro, o camaronês chegou atrasado e ainda cometeu falta.

MD/efe/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast

Outras - notícias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest