Apesar da crise, artista consegue sustentar mais de 250 animais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Nana Índigo
Nana Índigo (Foto: Ivan Di Simoni)

A artista e escritora Nana Índigo encontrou na arte uma forma de seguir cuidando de mais de 250 animais durante a crise. O santuário que ela fundou e está localizado em Cotia (SP) garante a sobrevivência de animais que foram abandonados ou sofreram maus-tratos nas ruas.

Com as vendas de suas obras de arte, ela conseguiu construir um ambulatório e comprar rações para os animais que vivem no Santuário Animal Sente, que através de uma loja online no site, comercializa os produtos da artista para arrecadar fundos e manter o funcionamento dos serviços.

“Precisava muito de um espaço para os veterinários cuidarem dos animais. Cada vez mais trabalho sozinha, não tenho ninguém para ajudar. Então, através da arte consigo manter tudo funcionando. Logo depois com a criação do site do santuário montamos uma loja para comercializar minha arte e sustentar o projeto que não tem nenhum objetivo comercial, apenas proteger e salvar os animais” , disse Nana Índigo.

Foto: Facebook/Acervo pessoal

Segundo ela, a ideia é arrecadar fundos para conseguir construir um mini-hospital para os os animais. “São duas toneladas de alimentos, serviços veterinários e outros gastos mensais. Sustento tudo isso com as minhas obras de arte. Ao invés das pessoas fazerem doações, elas adquirem arte como aquarelas quadros, e assim são beneficiadas ao colaborar com a causa animal”, disse a artista à coluna.

O jornalista Antonio Marques escreve sobre rádio, televisão e famosos desde 1990 e é um dos colunistas do portal SP Agora.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas