Após plano para sequestrar Maduro, sobe para 45 número de presos

Entre os presos está o sobrinho de um ex-oficial venezuelano.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Presos foram apresentados por oficiais das forças de segurança da Venezuela (Reprodução)

Subiu para 45 o número de presos na Venezuela após suposto plano frustrado para sequestrar o presidente do país, Nicolás Maduro. Onze pessoas detidas no fim de semana foram apresentadas pelas autoridades locais como “terroristas”. As informações são da France-press.

Entre os presos desse domingo (10) está Alcalá Cordones, sobrinho do antigo general venezuelano Clíver Alcalá, acusado de planejar o ataque. Segundo a imprensa internacional, Clíver foi um colaborador próximo de Hugo Chavéz, ex-Presidente venezuelano, morto em 2013, mas se distanciou de Maduro.

O Governo venezuelano anunciou, em 3 de maio, que oito pessoas foram mortas e duas foram detidas numa primeira tentativa de ataque pelo mar. No dia seguinte, aconteceram as primeiras prisões.

Há entre os detidos dois homens, ex-integrantes das Forças Armadas Americanas, Luke Denman e Airan Berry. Eles foram acusados de “terrorismo, conspiração, tráfico de armas de guerra e associação de malfeitores”. Somados, os crimes totalizam cerca de 30 anos de prisão.

Além dos dois americanos, 29 venezuelanos também foram implicados na operação e vão responder por conspirarem contra o governo.

*Com informações da Agência Lusa e France-press

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas