Com 36 casos, Venezuela suspende voos

Com 36 casos, a Venezuela está em "quarentena social coletiva".
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela (Kremlin/via Fotos Públicas)

O governo venezuelano elevou para 36 o número de casos confirmados no país, nessa terça-feira (17), dia em que foi anunciada a restrição de todos os voos nacionais e internacionais.

“No processo de detecção diária de casos de coronavírus na Venezuela” foram identificados “três novos casos” em homens, residentes no leste de Caracas, anunciou a vice-presidente da Venezuela, Delcy Rodriguez. “A região da capital é agora a de maior incidência de casos, com 11 pessoas infetadas”.

O Instituto de Aviação Civil da Venezuela (Inac) anunciou a restrição de todos voos nacionais e internacionais no país.



“O Inac informa ao povo venezuelano que a partir de 17 de março se restringem as operações aéreas de aviação geral e comercial, para e dentro da República Bolivariana da Venezuela, reforçando as ações de segurança e saúde em todo o território” venezuelano.

O instituto acrescentou que “apenas estão autorizados os voos, pousos e decolagem de carga e correio”.

https://spagora.com.br/determinado-fechamento-da-fronteira-com-venezuela/politica/

Com 36 casos confirmados de Covid-19, a Venezuela está desde segunda-feira (16) em “quarentena social coletiva” para evitar a propagação do vírus.

A população pode circular apenas na área de residência, por estar restrita a circulação por terra entre os 24 estados do país.

Milhares de militares e políciais patrulham cidades e estados. As autoridades a exigem o uso de máscaras de proteção às pessoas que caminham e para entrar nos supermercados, farmácias e hospitais, únicos estabelecimentos comerciais autorizados a permanecer abertos, embora em horário reduzido.

Nos supermercados, majoritariamente de portugueses, é limitado o número de pessoas que podem estar ao mesmo tempo no interior. Os clientes esperam em filas à porta, mantendo distância de 1,5 metro por pessoa.

Desde sexta-feira passada a Venezuela está sob “estado de alerta”, o que permite ao Executivo tomar “decisões drásticas” para combater a pandemia de Covid-19.

Constitucionalmente, o estados de alerta tem duração de 30 dias, prorrogáveis por igual período.

Em 13 de março, a Venezuela suspendeu os voos provenientes da Europa, da Colômbia, do Panamá e da República Dominicana, sendo também restrita a entrada de pessoas provenientes do Irã, do Japão e da Coreia do Sul.

Além das escolas, os clubes culturais e recreativos em Caracas estão fechados, sendo obrigatório usar máscaras de proteção no metrô e no sistema ferroviário, que presta serviço apenas a trabalhadores dos serviços básicos de primeira necessidade.

O acesso às praias e parques está também interditado.

O coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infectou mais de 189 mil pessoas, das quais mais de 7.800 morreram.

Das pessoas infectadas em todo o mundo, mais de 81 mil se recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 146 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar situação de pandemia.

Por RTP – Emissora pública de televisão de Portugal

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas