Nasa escolhe SpaceX para levar astronautas à Lua

Empresa de Elon Musk vence companhia de Jeff Bezos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Nasa/Reprodução)

A Nasa escolheu a companhia SpaceX, do empresário Elon Musk, para a próxima missão tripulada à Lua, anunciou nesta sexta-feira (16/04) a agência espacial americana.

“Estamos todos muito emocionados em anunciar que escolhemos a SpaceX para continuar com o desenvolvimento de nosso sistema de pouso humano integrado”, declarou Lisa Watson-Morgan, chefe do programa de Sistema de Aterrissagem Humana da Nasa, em coletiva de imprensa.

A empresa fundada em 2002 por Musk, que é presidente da Tesla, venceu o concurso com o protótipo da nave espacial Starship, concebida para transportar grandes tripulações e cargas em viagens espaciais de longa distância. O veículo está sendo testado nas instalações da SpaceX no sul do Texas, mas as quatro tentativas de voo até agora terminaram em explosão.

O contrato de 2,9 bilhões de dólares é a mais importante vitória da SpaceX e reforça a posição da empresa como parceira privilegiada da Nasa. Em 2020, a companhia se tornou a primeira empresa privada a enviar com sucesso uma tripulação à Estação Espacial Internacional.

No concurso, a SpaceX venceu a empresa Blue Origin, de Jeff Bezos, e a empreiteira de defesa Dynetics, se tornando assim a única escolha da Nasa para o programa – uma ruptura surpreendente com as práticas anteriores da agência espacial, que normalmente escolhe várias empresas a fim de se prevenir caso uma delas venha a falhar.

A última missão tripulada à Lua, a Apollo 17, aconteceu em dezembro de 1972, três anos depois da chegada do homem à sua superfície, com a missão Apollo 11.

Ao todo, estiveram na Lua 12 astronautas americanos, sendo dois deles civis: o engenheiro Neil Armstrong e o geólogo Harrison Schmitt – o primeiro e o último homens a pisarem em solo lunar, respectivamente.

Programa Artemis

Em maio de 2019, a Nasa anunciou que a próxima missão lunar tripulada, ainda sem custos contabilizados, se chamaria Artemis, que, na mitologia greco-romana, era a irmã gêmea de Apolo e deusa da caça e da Lua.

Dois meses antes, o governo do então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já tinha antecipado em quatro anos, para 2024, o regresso de astronautas americanos à Lua, incluindo a primeira mulher.

Os planos da Nasa são de transportar quatro astronautas a bordo de uma cápsula Orion, usando um foguete de seu Sistema de Lançamento Espacial. A Orion se acoplará, então, a uma estação orbital na Lua, chamada Gateway. Ali, a Starship de Elon Musk estará esperando para receber dois membros da tripulação para a etapa final da viagem até a superfície da Lua.

Os astronautas pousarão no polo sul do satélite, onde há gelo nas suas crateras e, portanto, condições para ter potencialmente água em sua forma líquida.

Por Deutsche Welle

ek (AFP, AP, Lusa)

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas