Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Obras fantásticas despertam interesse pela literatura

Em trilogia comovente que apresenta aos leitores o novo mundo de Asterium, o autor João Gabriel Brene faz um convite para os possíveis leitores que ainda não estão tão acostumados a ler

O mundo da literatura é amplo. Como os autores são livres para criar o que bem entenderem, os livros literários podem retratar qualquer tema, qualquer situação, qualquer criatura. Esse fator é chamativo para aqueles que já são leitores assíduos e querem se embrenhar num mundo novo cheio de aventuras ou apenas observar uma situação cotidiana ser retratada de forma inovadora em um livro. Porém não é um fator tão decisivo assim para aqueles que ainda não tem o hábito da leitura.

Leitura fácil e rápida, poucas páginas, capa e títulos chamativos, tema inovador, são alguns dos temas atrativos para esta população que ainda não tem tanta vontade de ler sem um incentivo.

Muitos dos jovens leitores que hoje são viciados em literatura adentraram neste mundo por causa de alguma das sagas mundialmente famosas, como Harry Potter, Crepúsculo, Jogos Vorazes ou Percy Jackson.

A trilogia “Johnny Bleas” é uma ótima pedida para dar seus primeiros passos no mundo da literatura. O livro de apenas 214 páginas tem uma escrita leve, seria o conhecido como “livros para ler em uma sentada só”.

Ela trata do personagem principal, Johnny Bleas, que é levado a uma nova dimensão, um novo mundo onde gnomos, castelos e piratas são apenas o começo. Um lugar mágico em que os enigmas do seu passado são revelados, onde o oculto que por tanto tempo dormiu, renasce e o assassino é descoberto em uma trama muito maior do que o esperado. Em Asterium, cada uma das peças do quebra cabeça se reconstitui, à medida que antigas peças se encaixam, novos mistérios nascem a partir de uma profecia que lhe defronta com o medo e a coragem de encarar um novo destino.

 “Um dos propósitos de ter feito o livro 1 da trilogia Johnny Bleas ser um pouco mais curto foi para que o tamanho, não impedisse da obra fosse um incentivo para os que ainda não tem o hábito da leitura. Uma leitura fácil e prazerosa é sempre um bom incentivo para quem ainda não tem o hábito”, diz o autor do livro, que considera importante o incentivo à leitura.

E agora, sabendo que há um livro nacional com uma história interessante e chamativa, um novo mundo cheio de aventuras, personagens cativantes e uma leitura fácil e rápida, que alcança todos os públicos, não dá vontade de pelo menos ler para conhecer? E caso gostar, se tornar mais um dos muitos leitores assíduos apaixonados por literatura.

Fonte: Paula Fornaziero da Silva/ AM3 Conteúdo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Fale agora com nossa equipe!
Powered by