Desvendando o Ecossistema das Startups: como alcançar o Scale Up

Por Armando Kolbe Junior
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Nos últimos 15 anos a palavra de origem inglesa Startup ganhou destaque, e isso tem ocasionado confusão com Scale Up pois, nesse mesmo período, marcas famosas cresceram acima da média como Airbnb, Nubank, Uber e iFood – todas Startups que se tornaram exemplos de Scale Up em seus segmentos. Outro fator que corrobora na confusão dos termos é o tipo de modelo de negócio que leva ao Scale Up: escalável, replicável, que não tenha dificuldades, nem custos altos, e atue com grande volume. Características comumente já utilizadas pelas Startups.

Qual empreendedor não gostaria de ter um lucro superior a 20 milhões de dólares em uma Scale Up? Pois para alcançar esse objetivo o negócio precisa passar por algumas fases de crescimento. No início de uma Startup sua equipe é multifuncional, versando em diversas áreas de negócio com o objetivo de manter a estrutura enxuta e escalável. Para crescer rumo à fase Scale Up, a Startup deve ampliar, gradualmente, seu quadro funcional com mão-de-obra especializada, bem como organizar setores e processos de forma mais definida e estratégica.

Alguns quesitos também devem ser levados em conta. É necessário analisar se o negócio tem um modelo de fato escalável e se aumentar a estrutura de custos acompanha uma ampliação do faturamento. Além disso, o capital utilizado nos investimentos deve constar em um orçamento que enalteça o plano de expansão. Nos casos em que o negócio não tem capital próprio, terceiros devem ser buscados para financiamento ou investimento.

Tendo essas etapas finalizadas os próximos passos são de mão na massa e começam com a Ideação, fase para conceber a ideia, realizar estudos de mercado e buscar o público-alvo. Além disso, trabalha-se os detalhes do produto e outras informações para criação do Produto Mínimo Viável (PVM – mais chamado de MVP que é a sigla em inglês). Ele será a versão mais simples de um produto ou serviço e que exige quantidade mínima de esforço e desenvolvimento.

Em seguida vem a fase da Operação, onde o MVP é colocado à prova. É preciso verificar a reação do público-alvo para realizar os ajustes necessários (market fit). Nesse momento a Startup pode participar de rodadas de investimentos, programas de aceleração e buscar um hub de inovação. Na sequência, temos a etapa da Tração em que, provavelmente, a Startup está mais madura e já pode fazer melhorias no MVP com foco no crescimento sustentável. É aqui que ela pode, inclusive, abrir o capital, realizar lucro dos investidores e fundos Venture Capital.

Parece ser um objetivo difícil de ser alcançado, entretanto é perfeitamente possível. Como em todos os processos, para se tornar uma Scale Up é necessário dispensar muitos esforços, e tentar garantir que os erros e aprendizados de cada etapa sejam internalizados por todos da organização. Uma das premissas em um mundo onde a inovação ocorre de forma muito acelerada é errar rápido para aprender mais rápido ainda.

Desvendando o Ecossistema das Startups: como alcançar o Scale Up - por Armando Kolbe Junior
Armando Kolbe Junior é coordenador do Curso de Gestão de Startups e Empreendedorismo Digital do Centro Universitário Internacional UNINTER Divulgação

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas