Em 2017, a cidade de São Paulo teve 530 furtos por dia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

A cada 24 horas, a cidade de São Paulo é palco de 530 furtos: uma média de 22 por hora, aponta levantamento feito a partir das estatísticas de crimes divulgadas, na última quarta (24), pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

Em 2017, a SSP, que agrega dados das polícias Civil e Militar, registrou 193.685 furtos – 10,3 mil a mais do que no ano anterior. O aumento de 5,6% fez com que o índice se aproximasse do recorde: em 2013, foram 201,3 mil furtos.

A SSP não detalha os objetos furtados. Contudo, com base nos registros disponíveis no Portal da Transparência da secretaria, é possível anotar que, em 2017, foram abertos aproximadamente 72 mil boletins de ocorrência relacionados a furto de celulares – o número pode variar para mais e para menos, conforme andam as investigações da polícia.

A SSP disse em nota que trabalha sem parar no combate aos crimes contra o patrimônio. A pasta afirma que em 2017 houve queda em quase todos os crimes no estado, e acrescenta que o número de furtos na capital caiu 1,5% em dezembro, em comparação com o mesmo mês de 2016.

Concentração

A Sé está no topo das regiões com mais casos de furtos em 2017. O 1º Distrito Policial registrou mais de 11,6 mil crimes do gênero – aumento de 17% em relação a 2016. Além disso, distritos próximos do Centro da cidade também apresentam altos índices e respondem por 22,2% de todos os furtos em São Paulo.

Atendendo à circunscrição dos Jardins, região nobre da capital, o 78º DP registrou 8.337 casos em 2017 – aumento de 6,79%. Ao lado, no Campos Elíseos, o 3º DP contabilizou 7.913 furtos – queda de 0,78% sobre 2016. Respondendo à região da Consolação, o 4º DP observou um aumento de 31,29%, chegando a 7.531 crimes do gênero. Já o 23º DP, em Perdizes, anotou 7.474 furtos, 6,51% a mais do que no ano anterior.

A concentração de crimes na Sé e em distritos no entorno também é refletida na análise de regiões com maiores crescimentos de furtos. O Centro teve aumento de 12,29% entre os anos, passando de 41,2 mil para 46,3 mil – bem acima do aumento de furtos nas demais regiões, que foram de 2,87% (Zona Oeste) a 4,34% (Sul).

Diferença entre roubo e furto

O número de roubos na capital em 2017 chegou a 153.848 registros. Em relação ao ano anterior, teve leve queda, de 0,04%. Parece pouco, mas esse percentual significa 5,7 mil roubos a menos de um ano a outro.

O roubo ocorre quando um bem é subtraído com o emprego de violência ou ameaça à vítima, de acordo com o artigo 157 do Código Penal. A pena para quem comete o crime é a reclusão de 4 a 10 anos, além de multa.

Já o furto, tipificado no 155º artigo do Código Penal, é caracterizado pela subtração de um bem material sem violência ou ameaça contra a vítima. Nesse tipo de crime, a vítima não percebe a ação. A pena é de 1 a 4 anos, além de multa.

Além de roubo em geral, a SSP registrou queda em diversos outros crimes, como roubo de veículo (32.230 casos em 2017; 15,5% a menos do que em 2016) e homicídio doloso (713 casos; 15,5% a menos), e anotou estabilidade em latrocínio (117 casos, sendo 1 a mais que 2016; aumento de 0,86%).

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *