Motorista que atropelou e matou pesquisadora da USP é identificado

Polícia Civil investiga o caso. Corpo de Marina Kohler Harkot foi enterrado em Niterói
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

A Polícia Civil de São Paulo identificou o motorista que atropelou e matou a pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP) Marina Kohler Harkot. A informação foi divulgada pelo Agora, do Grupo Folha. O nome do motorista não foi divulgado.

O carro envolvido no atropelamento foi localizado na madrugada de hoje (10), na região da Consolação, no Centro da Capital paulista. O atropelamento ocorreu enquanto a jovem pedalava, na madrugada do último domingo (8), na Avenida Paulo VI, próximo à Rua João Moura, no Sumaré.

Uma policial militar, que estava de folga e à paisana, passava pelo local quando percebeu uma movimentação. Ela não chegou a presenciar o acidente, mas parou para prestar assistência ao ver a ciclista caída no chão. Pouco depois,  um motoqueiro que disse ter seguido um Hyundai Tucson após ver o carro atingir a ciclista e, em seguida, fugir, apareceu no local.

Ele informou o que seria a placa do veículo. O caso foi registrado no Distrito Policial de Pinheiros, mas a identificação de quem estava dirigindo não foi confirmada.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que antes da identificação do motorista, o homem que consta como proprietário disse ter vendido o carro em 2017 e se comprometeu a apresentar o documento de transferência de propriedade à polícia. O Hyundai Tucson prata, com o parabrisa danificado, foi levado para o mesmo Distrito Policial de Pinheiros. O corpo de Marina Harkot foi enterrado nesta segunda-feira (9), no Cemitério São Franscico Xavier, em Niterói, no Rio de Janeiro. 

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas