Mulher é libertada de cativeiro após madrugada de terror

Vítima é comerciante e foi rendida ao chegar em casa, na noite de terça-feira (4)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Uma mulher que estava refém de assaltantes foi libertada por policiais militares na manhã de hoje (5), em Taipas, zona norte de São Paulo. A vítima é uma comerciante que foi rendida quando chegava em casa.

Segundo os policiais, a mulher foi levada para o cativeiro enquanto os bandidos sacavam dinheiro da conta da empresária por meio do PIX e faziam compras com cartões dela.

No local, policiais encontraram grande quantidade de fraldas para crianças, compradas com o dinheiro do crime.

Madrugada de terror

Policial da rota, com arma longa nas mãos, observa outros policiais no beco em que a vítima foi libertada.
(Nivaldo Lima/SP Agora)

A mulher foi sequestrada pelos assaltantes por volta de 20h de terça-feira (4). Ela ficou em poder dos criminosos durante toda madrugada.

Informada sobre o crime, a Rota passou a fazer buscas e checar informações. Na manhã de hoje localizou o cativeiro.

A mulher foi resgatada sem ferimentos.

Bandidos

Suspeitos com as mãos para trás, diante da parede na rua. Policial com sacola na mão olha para os presos.
(Nivaldo Lima/SP Agora)

Durante o flagrante no cativeiro, três pessoas foram presas. Um casal que estava na casa em frente também foi preso, totalizando cinco suspeitos, sendo duas mulheres e três homens.

Na casa em que o casal estava foram encontradas mais fraldas e máquinas de cartão.

Você usa o Telegram?

Entre em nosso canal no Telegram e receba nossas atualizações de notícias direto no seu celular. Basta clicar aqui

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Artigos Relacionados

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *