Quadrilha invade Criciúma (SC) para assaltar agências bancárias

O tiroteio durou mais de uma hora. Um PM e um segurança ficaram feridos no confronto.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Os bandidos chegaram à cidade em comboio de muitos carros pouco depois da meia-noite e já entraram atirando. Assustados e acuados em suas residências, moradores registraram todos os passos dos criminosos.

O tiroteio durou mais de uma hora. Um PM e um segurança ficaram feridos no confronto. Eles foram levados para um hospital do município e as informações iniciais são de que o estado de saúde deles é estável.

Segundo a Polícia Militar, o alvo dos bandidos eram agências bancárias, mas lojas também foram invadidas. A quadrilha se espalhou por várias ruas, providenciando bloqueios e passando a exibir poderio de fogo, com disparos aleatórios simultâneos.

Algumas pessoas foram feitas reféns, aparentemente garis ou funcionários da coleta de lixo. Vídeos postados nas redes sociais mostram os trabalhadores acuados e enfileirados no asfalto.

Ao menos uma agência da Caixa Econômica Federal foi invadida pela quadrilha.

A PM informou que, em Tubarão, cidade vizinha, o grupo incendiou o túnel que dá acesso a Criciúma para tentar impedir que reforços chegassem até o local.

Na cidade alvo dos ladrões, um batalhão da polícia também foi atacado e ao menos um veículo foi incendiado. Homens do BOPE, O Batalhão de Operações Especiais, e do Batalhão de Choque da PM de Florianópolis vieram em apoio às equipes da cidade.

Em todas as ruas, criminosos fechavam cruzamentos e atiravam simultaneamente. Explosivos também foram usados e o barulho podia ser ouvido a quilômetros.

Assim que surgiram os primeiros relatos, o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, postou um pronunciamento em vídeo na internet, alertando aos moradores a permanecer em casa.

Os reféns, apesar dos momentos de pânico nas mãos da quadrilha, foram libertados ilesos.

Na fuga, os bandidos espalharam dinheiro pelas ruas, para que populares recolhessem, retardando a ação dos policiais militares.

*Com informações do repórter Paulo Édson Fiore, da rádio Jovem Pan.
Veja esta e outras notícias no canal do Youtube do repórter Paulo Édson Fiore

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas