Capital antecipa feriados de 2022 para frear contaminações pela covid-19

Ao todo, cinco feriados serão antecipados
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Bruno Covas, prefeito de São Paulo (Arquivo/Patrícia Cruz/Fotos Públicas)

O prefeito Bruno Covas (PSDB) anunciou, nesta quinta-feira (18), várias medidas para conter a escada da pandemia na cidade e evitar o colapso das redes pública e privada de saúde. Cinco feriados municipais – dois deste ano e três de 2022 – serão antecipados a partir de sexta-feira (26/03) e serão encerrados no domingo (04/04), incluindo a sexta-feira Santa e a Páscoa. No total, serão 10 dias consecutivos.

Além disso, Covas determinou a alteração do rodízio de carros para intensificar o toque de recolher, abertura de 640 novos leitos para atendimento da Covid-19, liberação da Renda Básica Emergencial a partir da próxima semana e a intensificação do programa de distribuição de refeições para pessoas em situação de rua.

“Não há ação isolada do poder público que tenha o efeito desejado sem a participação da população. Isso serve para a antecipação de feriado, lockdown ou qualquer medida feita pela Prefeitura ou Governo do Estado. Mais importante do que qualquer medida é a conscientização da população. Não dá mais para termos um jovem de 22 anos – que em 48 horas – vem a óbito porque não consegue ser atendido em um leito de UTI aqui na cidade de São Paulo. Esta é uma responsabilidade compartilhada”, disse o prefeito.

A antecipação dos feriados segue como aconteceu em 2020, quando grande parte da população permaneceu em casa, ajudando a conter a pandemia, forçando a cidade a parar, pois quanto mais pessoas circulam, maior é a possibilidade de serem infectadas ao mesmo tempo, provocando a sobrecarga em todo o sistema de saúde, seja ele público ou particular.

“A cidade que nunca parou, a cidade que trabalha, a cidade que é a soma do esforço de vários migrantes e imigrantes que para cá vieram em busca de trabalho, precisa parar”, afirmou Covas. “Precisa parar para que a gente não tenha mais casos como esses de pessoas que não conseguem ser atendidas e vêm a óbito por falta de atendimento. A vacina está chegando e esse esforço extra é necessário para que a gente possa avançar nesse momento tão difícil”, ressaltou.

Os feriados que serão antecipados são:

Corpus Christi – 3 de junho de 2021

Consciência Negra – 20 de novembro de 2021

Aniversário da cidade – 25 de janeiro de 2022

Corpus Christi – 16 de junho de 2022

Consciência Negra – 20 de novembro de 2022

Apoio da população 

O secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, e a vice-presidente da Câmara, vereadora Ruth Costa, destacaram a importância do apoio e do engajamento das pessoas ao isolamento social. “Hoje, mais do que nunca, precisamos do apoio da população. Não é o momento de ficarmos cansados e jogarmos a toalha, muito pelo contrário”, destacou Gorinchteyn.

“É o momento que se isso acontecer, todo o isolamento, todo o trabalho que tivemos em um ano irá por terra abaixo, porque as pessoas vão continuar morrendo e sendo enterradas”, completou. Ruth Costa também fez um apelo, sobretudo para as mulheres.“Destaquei as mulheres porque elas ficam em casa com os filhos, na escola, mas vamos aguentar esse momento de crise protegendo a vida”, afirmou a vice presidente da Câmara Municipal.

640 novos leitos 

A rede municipal será ampliada com a criação de mais 640 leitos (UTIs e enfermarias) para pacientes com covid-19 na capital paulista. Esses novos leitos serão criados nos Hospitais do Jabaquara, na Zona Sul, de Itaquera, na Zona Leste, e no vereador José Storopolli, na Vila Maria, Zona Norte.

O secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, explicou que, mesmo com os esforços já realizados – abertura de leitos dos Hospitais Dia, UPAs, entre outras ampliações – a cidade de São Paulo está em seu pior momento desde o início da pandemia por causa da pressão sobre os sistemas de saúde público e privado. Aparecido acrescentou, também, que todo o empenho acumulado da Prefeitura e da secretaria estadual da Saúde estão sendo insuficientes diante gravidade da situação e transmissibilidade do coronavírus.

“O esforço acumulado da Prefeitura e da Secretaria Estadual de Saúde, está se tornando insuficiente em função da gravidade do momento, da transmissibilidade da doença, da pressão das internações para que a gente possa resistir nesses próximos 15 dias e conseguir atender todos aqueles que precisaram de tratamento, como sempre fizemos”, disse o secretário municipal da Saúde Edson Aparecido, justificando a necessidade urgente do isolamento social.

Alteração do rodízio 

O prefeito também anunciou que a partir da próxima segunda-feira (22), o horário do rodízio para veículos na cidade será alterado, liberando a opção do carro na parte da manhã (7h às 10h) e da tarde (17h às 20h), de acordo com o final da placa de cada veículo. Com isso, o rodízio passará a valer de acordo com o toque restrição, das 20h às 5h.

Covas disse que está somando esforço com o governo do Estado para evitar a circulação de pessoas no período noturno e, assim, espera que as pessoas, mais do que receio de qualquer fiscalização, entendam que esse é o momento de uma ação coletiva contra o coronavírus. “Eu, que enfrento uma doença e que luto para estar vivo a cada dia, queria que cada um da cidade possa pensar na sua saúde, na saúde do seu semelhante, da sua família, dos seus amigos e vizinhos. As nossas ações têm consequências. Se você pega o vírus pode levar isso para dentro de casa, contaminar algum ente querido.”

Aquisição de Vacinas 

Bruno Covas destacou que a cidade de São Paulo faz parte de um consórcio com outros municípios do Brasil, liderado pela Frente Nacional de Prefeitos, para poder adquirir vacinas para o município. A Secretaria da Saúde está em contato com representantes das indústrias farmacêuticas para viabilizar a compra de imunizantes.

Renda Básica Emergencial 

Durante a entrevista coletiva virtual, Covas também anunciou a liberação de R$ 500 milhões de recursos municipais para efetuar o pagamento da Renda Básica Emergencial para a população em situação de vulnerabilidade social durante os meses de março, abril e maio. Mais de um milhão de famílias serão beneficiadas com o recurso.

O contrato entre a Prefeitura e a Caixa Econômica Federal será assinado hoje. A expectativa é que o pagamento do auxílio emergencial seja feito na semana que vem. “Foi autorizado ontem (quarta-feira, 17) e publicado no Diário Oficial do Município o montante de meio bilhão de reais dos cofres municipais para que, após a assinatura do contrato, que deve acontecer hoje, iniciar na semana que vem o pagamento do auxílio emergencial na cidade de São Paulo”, declarou Bruno Covas.

Cestas básicas e refeições 

Levando-se em conta o esforço e o sacrifício que a população tem feito ao longo desse último ano, a Prefeitura de São Paulo irá triplicar a distribuição diária de cestas básicas, passando de 2.500 para 7.500. 
Pensando na população em alta vulnerabilidade, sobretudo em situação de rua, também haverá a ampliação da quantidade de refeições diárias distribuídas, passando de 7.500 para 10 mil.

Com Pref. de São Paulo

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas