Capital vai contratar quase 5 mil mães de alunos para trabalhar em escolas

Elas vão atuar para manter protocolos de prevenção à Covid-19
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Arquivo/Pref. de São Paulo)

A Prefeitura de São Paulo abriu, ontem (16), inscrições para contratar mães de alunos que vão trabalhar dentro das escolas do município. O Programa Operação Trabalho – POT Volta às Aulas é destinado à inserção de mulheres no mercado de trabalho e ao reforço da aplicação dos protocolos sanitários e de distanciamento social nas escolas municipais, para prevenir o contágio pelo coronavírus.

As inscrições serão feitas nas escolas da região onde as candidatas moram pelas Diretorias Regionais de Ensino (DREs). O prazo para se inscrever termina na quinta-feira (18), às 17h.

O POT Volta às Aulas oferece, ao todo, 4.590 vagas distribuídas nas unidades das 13 DREs da capital paulista. Prioritariamente, o programa admitirá mães de alunos de escolas públicas ou mulheres que morem nas comunidades onde elas estão situadas, com idades entre 18 e 50 anos.

“Ações como essa são importantes para contribuir com as famílias que contam, muitas vezes, apenas com as mulheres para garantirem o sustento da casa. Nessa atividade, as mães atuarão como ‘guardiãs dos protocolos sanitários’ dos alunos”, afirma a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Aline Cardoso.

As selecionadas receberão o valor de R$ 1.155,00 mensais para uma carga hora de trabalho de 30 horas semanais, divididas em seis horas por dia. O contrato de trabalho terá duração de seis meses, de fevereiro a julho de 2021.

No total, serão aplicados R$ 31,8 milhões no projeto, desenvolvido por meio do POT (Programa Operação Trabalho). Cada uma das unidades da rede municipal de ensino deverá manter três mulheres selecionadas para o projeto. “Além de promover a inclusão social e econômica das beneficiárias, o projeto visa a capacitação profissional dessas mulheres, algo que as ajude na reinserção definitiva ao mundo do trabalho”, explica o secretário municipal de Educação, Fernando Padula.

As selecionadas serão responsáveis pelo monitoramento do cumprimento das normas de distanciamento social, uso correto da máscara e do álcool gel,  apoio às  boas práticas de higienização e segurança como aferição de temperatura, higienização de equipamentos escolares e ambientes de uso coletivo.

“As mulheres foram diretamente impactadas na pandemia,sobretudo, na saúde mental, Muitas ficaram sem trabalho ou mesmo no home-office. A sobrecarga mental delas, que já e grande, só aumentou. Portanto, essa iniciativa foi tomada pensando na saúde das mães e, claro, nos filhos que retornam ao convívio escolar com a segurança necessária e o acolhimento delas”, salienta o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido dos Santos.

Para se candidatar é necessário cumprir os critérios do Programa Operação Trabalho como estar desempregada há mais de quatro meses e ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa da família.  A triagem das candidatas será feita pelos técnicos do Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo.

As candidatas serão convocadas em horário marcado nos postos do Cate para entregar documentos de comprovação dos critérios de contratação como RG, CPF, carteira de trabalho e comprovante de residência.  

Capacitação

As mulheres selecionadas serão capacitadas por meio de um curso on-line para  atuar na função. A capacitação será feita pela Escola Municipal de Educação Profissional e Saúde Pública Professor Makiguti, vinculada à SMDET.

Durante o período de permanência no POT Volta às Aulas as participantes deverão cumprir também 24 horas mensais de qualificação profissional no Portal do Cate (cate.prefeitura.sp.gov.br).

Serviço

Inscrições: até as 17h de quinta-feira (18)

A convocação para a entrega da documentação será feita por e-mail e telefone.

Pré-requisitos para participar da seleção 

•          Ter entre 18 e 50 anos;

•          Morar na capital paulista;

•          Estar desempregada há mais de quatro meses e não estar recebendo seguro-desemprego;

•          Ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa da família;

•          Estar com a situação cadastral do CPF regular junto à receita federal;

•          Entregar autodeclaração de inexistência de doenças preexistentes e não pertencer aos grupos de risco da covid-19.

*Com informações da Pref. de São Paulo

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas