Disque 100: São Paulo Teve Quase Três Mil Denúncias de Violência Sexual Infantil em 2017

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

A Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDS) promoveu no mês de junho a “Série Dialogando – Atuação da Assistência Social no Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”. O evento discutiu estatísticas recentes que mostram a gravidade do problema enfrentado em todo o país – especialmente pelo receio das famílias em denunciar.

O Disque 100 de Direitos Humanos do Governo Federal recebeu 2.975 denúncias de violência sexual infantil, no Estado de São Paulo, em 2017. Esse número representa um aumento de 29% no número de denúncias, em comparação com 2016, que teve 2.299.

Foto mostra cartaz da campanha realizada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República no carnaval para combater a Violência contra Crianças e Adolescentes (Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil)

O número de violação de direitos é de 3.332, porque cada ligação pode ter mais de um jovem atingido ou mais de um tipo de violação. Os principais casos foram abuso sexual, com 2.534; exploração sexual, com 588; e pornografia, com 51.

Na Proteção Social Especial, a violência sexual é um dos focos dos serviços especializados e continuados. O Estado de São Paulo conta com 283 CREAS (Centros de Referência Especializados de Assistência Social), que oferecem orientação e acompanhamento a indivíduos e famílias em situação de ameaça ou violação de direitos.

Para o secretário Gilberto Nascimento Junior, é preciso que essa informação seja disseminada, para que a gente possa proteger nossas crianças e adolescentes. “Pedimos a colaboração da população para que denuncie este crime. O receio em denunciar os casos permite que abusadores continuem impunes”, destaca.

A SEDS também conta com uma arte especial que está disponível no site para impressão de parceiros que se interessem em divulgar. A campanha mostra a necessidade de quebrar o silêncio, por meio dos telefones gratuitos “Disque 100 ou 181”.

(texto: portal do Estado de São Paulo)

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas