Feira Literária da Zona Sul começa hoje

Maior feira literária das periferias vai até o dia 21 de setembro.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Por Elaine Patrícia Cruz

(Will Cavagnolli/Felizs)

Com shows, danças, peças de teatro, caminhada literária, exposições e conversas literárias, começou neste domingo (8) a 5ª edição da Feira Literária da Zona Sul (FELIZS), maior feira literária das periferias de São Paulo. Serão mais de 100 atrações culturais, em duas semanas de programação no Campo Limpo e em bairros vizinhos.

O tema da feira deste ano é Meu Corpo, Minha Marca no Mundo e os homenageados desta edição são o escritor e dramaturgo Marco Pezão, amante da cultura do futebol de várzea das periferias e curador do Sarau a Plenos Pulmões, e a poeta Tula Pilar, que morreu em abril deste ano. O evento ocorre no Sesc Campo Limpo e a abertura está prevista para as 17h, com um show de Renata Rosa e Geraldo Magela. O encerramento, no dia 21 de setembro, será na Praça do Campo Limpo, que receberá uma grande mostra de arte, com programação das 11h às 21h30.

“Homenagear esses artistas é uma forma de destacar uma dramaturgia enraizada no contexto histórico do morador da periferia, um personagem que dificilmente tem seus traços, corpos e leituras de mundo retratado com fidelidade nos grandes espetáculos da indústria cultural”, disse Silvia Tavares, uma das curadoras do evento.

A feira pretende unir potenciais num único espaço e observar a grandiosidade de propostas que a periferia vem desenvolvendo, além de divulgar a produção intensa produzida nas periferias da cidade. “Num momento onde os apoios a projetos culturais estão cada vez mais escassos, produzir uma feira literária com mais de 100 atividades gratuitas e abertas ao público é sem dúvida nenhuma um feito histórico”, disse Diane Padial, idealizadora do FELIZS.

Crianças

(Will Cavagnolli/Felizs)

A feira vai promover ainda uma série de atividades para crianças e adolescentes, tais como contação de histórias, intervenções poéticas e espetáculos de teatro em espaços públicos e independentes de educação e cultura, tais como unidades do Centro Educacional Unificado (CEU), escolas, bibliotecas públicas e organizações sociais da zona sul de São Paulo.

“A leitura é um hábito que ganha ainda mais sabor com elementos de representatividade. Nas periferias, existem várias referências de autores e autoras que, por tratarem de temas, personagens e cenários semelhantes aos vividos pelas crianças, podem despertar nelas o gosto pela leitura e escrita. Por isso, a FELIZS está construindo esse espaço de diálogo, onde elas, as crianças, terão vez e voz para compartilhar suas experiências com o livro entre outras crianças”, disse Juliana da Paz, curadora da programação de literatura infantil.

Desde sua primeira edição, em 2015, a FELIZS já atraiu mais de 25 mil pessoas para suas atividades. A programação é gratuita e pode ser consultada no seguinte endereço na internet.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas