Insira suas palavras-chave de pesquisa e pressione Enter.

Governo de SP estuda reajuste da tarifa de trens e Metrô para 2018

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Perto do final do ano, o governo de São Paulo afirma que estuda “possibilidades sobre o reajuste da tarifa” de Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) para 2018.

O valor unitário da passagem, de R$ 3,80, foi instituído em janeiro de 2016 e não sofreu reajustes no final do último ano após o prefeito João Doria anunciar o congelamento da tarifa de ônibus. A decisão acabou sendo seguida pelo governador Geraldo Alckmin para o Metrô e para a CPTM.

Em relação à tarifa de 2018, a Secretaria de Transportes Metropolitanos, do governo estadual, confirmou apenas que são feitos estudos, mas não adiantou qual valor deve ser adotado.

Já a gestão Doria, questionada se haverá aumento para ônibus ou se a medida está descartada, afirmou apenas que “não há definição sobre o assunto”.

O aumento na tarifa do transporte público de São Paulo é geralmente combinado entre a prefeitura e o governo estadual para que aconteça na mesma data e nos mesmos valores para ônibus, metrô e trens.

Desde os protestos de junho de 2013 contra um aumento de R$ 0,20 na tarifa, promovidos principalmente por estudantes, as autoridades paulistas não dão pistas sobre os reajustes até o final de dezembro de cada ano, quando o anúncio ocorre no meio do período de festas.

Em 2014, por exemplo, a gestão Fernando Haddad (PT) anunciou o reajuste da tarifa de R$ 3 para R$ 3,50 no dia 26 de dezembro. Três dias depois, o governo de São Paulo confirmou o aumento também para o transporte sobre trilhos, e o novo preço entrou em vigor em 6 de janeiro.

Em 2015, o anúncio foi feito no dia 30 de dezembro pela prefeitura e pelo governo de São Paulo. O valor de R$ 3,80 passou a valer em 9 de janeiro de 2016.

Em 2017, a passagem unitária ficou congelada, mas houve aumento no valor da integração, aplicado em abril.

Subsídios

A prefeitura tenta tirar do papel uma nova contratação das empresas de ônibus. O atual serviço foi contratado em 2003, na gestão Marta Suplicy. Os acordos venceram em 2013 e vêm sendo renovados anualmente. Em 2019, porém, pela Lei de Licitações, já não poderão ser renovados.

A administração municipal diz esperar melhorar a eficiência e a prestação do serviço fazendo uma nova contratação de empresas para realizarem o serviço na capital.

A gestão João Doria informa no projeto de lei do Orçamento de 2018 que prevê reduzir o gasto com subsídio ao sistema de ônibus em 25,1%. Esse é o gasto com compensações para cobrir gratuidades, e que em 2017 baterá o recorde de R$ 3,1 bilhões, segundo previsão da prefeitura. A administração municipal não detalha como conseguirá reduzir esse gasto para os R$ 2,3 bilhões previstos para o ano que vem.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast

SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
SP AGORA - O melhor conteúdo de São Paulo
As últimas notícias de São Paulo e do Brasil.
As manchetes dos principais jornais do país
by SPAGORA

Você vai ouvir na voz do repórter Paulo Édson Fiore as manchetes dos principais jornais brasileiros.

As manchetes dos principais jornais do país
Comandante da PM afasta policial após ele apreender carro de vereadora
As manchetes dos principais jornais do país

Outras - notícias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest