Greve: Governador de SP Suspende Cobrança em Pedágios e Anula Multas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

 

Acordo entre Governo de São Paulo e caminhoneiros diminui pontos de bloqueios nas estradas paulistas (Foto: Portal do Estado de São Paulo)

A reunião entre representantes de caminhoneiros em greve e o governador de São Paulo, Márcio França (PSB), terminou positiva para os grevistas. O Governo de São Paulo vai determinar a suspensão da cobrança de terceiro eixo dos caminhões quando os veículos estiverem vazios.

“O Governo de São Paulo suspenderá em todas as praças de pedágios a cobrança da tarifa por eixo suspenso a partir do dia 29 do mês em curso, às zero hora. Ou seja, zero hora de terça-feira não teria mais a cobrança do eixo levantado, que é uma reivindicação antiga que eles fazem aqui em São Paulo”, anunciou o governador.

Outra medida anunciada por França é a atuação do Governo Paulista para que a queda de R$ 0,41 no preço do Diesel chegue ao consumidor final.

“O Governo do Estado de São Paulo fiscalizará, por intermédio do Procon-sp e dos órgãos policiais, a aplicação nas bombas do desconto no preço final do combustível, conforme o fixado pelo Governo Federal”, alerta.

Multas

O governador também anunciou a suspensão de multas que tenham sido aplicadas aos caminhoneiros durante a greve no Estado. A categoria também passa a ter um representante na Artesp, agência reguladora das rodovias paulistas.

Após essas medidas, o Governo de São Paulo anunciou redução de 77,7% na quantidade de pontos de bloqueios, segundo levantamento feito na manhã deste domingo (27). Caiu de 157 para 35 locais onde ainda há caminhoneiros reunidos.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas