Novo complexo amplia coleta e tratamento de esgoto

Obra entregue hoje atua na despoluição dos rios da Capital.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Entrega do novo interceptor do Rio Tietê – ITI


O governador de São Paulo, João Doria, entregou hoje (4) as obras que ampliam a coleta e o tratamento de esgoto nas zonas central e do centro expandido da capital paulista. O complexo conta com o Interceptor Tietê 7 (ITi-7) – um túnel construído sob a pista da Marginal Tietê –, a Estação Elevatória de Esgoto Piqueri, o novo Coletor-Tronco Anhangabaú e o Interceptor Tamanduateí (ITa-1J).

Com um orçamento de R$ 390 milhões, o empreendimento deve beneficiar cerca de 2,2 milhões de pessoas, especialmente o grupo que trabalha ou reside na área abrangida, que totaliza mais de 350 mil. A estrutura construída engloba 16 bairros, cruzando o bairro de Vila Buarque até as proximidades do Parque Zoológico de São Paulo.

O Coletor-Tronco Anhangabaú e o Interceptor Tamanduateí recolhem o esgoto, transferindo o volume para o ITi-7, que tem 7,5 quilômetros de extensão. Na sequência, a substância é conduzida até a Estação Elevatória Piqueri, de onde é bombeada para a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Barueri. O sistema tem capacidade para bombear até 4 mil litros de esgoto por segundo.

Despoluição

Ao lançar o complexo, Doria afirmou que ele vai contribuir para a despoluição do Rio Tietê, que corta o estado de leste a oeste. “Ou seja, mais coleta, menos dejeto, menos poluição no Rio Tietê”, disse.

O governador reiterou ainda uma promessa feita durante sua campanha: a de que promete concluir, até dezembro de 2022, o projeto de despoluição do Rio Pinheiros. Segundo ele, já foi preparado um cronograma para cumprimento da meta.

“Está mantido o cronograma para a entrega, até dezembro de 2022, fo Rio Pinheiros limpo, em condições adequadas e no padrão internacional de um rio considerado limpo. Evidentemente que o Rio Pinheiros não será um rio para nadar ou usufruir dentro do rio, mas, como o Sena [da França] ou o Tâmisa [da Inglaterra], será um rio inodor, sem nenhum cheiro, odor, e sem nenhum lixo de superfície e com vida dentro.”  Doria acrescentou que o prazo poderá ser estendido, caso haja alguma “intempérie do ponto de vista judicial” ou contestação do Ministério Público.

“Até 2028, é a nossa expectativa para despoluição do Rio Tietê, dentro do mesmo propósito e do mesmo pilar: se não tivermos nenhuma intercorrência de ordem judicial, principalmente, que sempre retarda o processo”, acrescentou o governador.

Por  Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Últimas - notícias

Orelhas & Tiaras

Play
Play
Play
previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider

Podcast