Operação busca roupas e calçados falsificados no Brás

Expectativa é apreender cerca de R$ 300 milhões em produtos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
(Receita Federal)

Uma operação da Receita Federal e da Prefeitura de São Paulo tenta localizar roupas e calçados falsificados, vendidos na região do Brás, área de comércio popular na Capital Paulista. A “Operação Segunda Dose” se concentra, segundo a Receita, em um shopping que abriga lojas e depósitos de mercadorias importadas. A expectativa, aponta nota divulgada pelo órgão, é da apreensão de elevado volume de produtos, podendo chegar a R$ 300 milhões em valor de mercado.

O mesmo shopping já foi alvo de ação da Receita Federal no ano passado.

“A prática identificada atualmente no local lesa os comerciantes, importadores e produtores brasileiros que atuam na legalidade, subtrai os empregos legítimos e sonega tributos, que deixam de ser recolhidos aos cofres públicos. São violados direitos autorais e de marcas, desestimulando o investimento por empreendedores legítimos no Brasil. Há também notória violação de direitos dos consumidores com produtos clandestinos e que não atendem aos requisitos de segurança”, informa a Receita.

A Prefeitura apoia a ação por meio da Subprefeitura da Mooca, auxiliando na logística de remoção das mercadorias, e da Guarda Civil Metropolitana, que preserva o perímetro do local garantindo a segurança das diligências. 

Valores sonegados

Estima-se que o montante de tributos federais sonegados correspondentes às mercadorias a serem apreendidas possa somar R$ 150 milhões. O valor, segundo a Receita, seria suficiente para financiar o ensino de mais de 30 mil alunos em escola pública por um ano. 

Após a conclusão da ação, a Receita Federal representará à Prefeitura pela cassação do alvará de funcionamento e interdição dos estabelecimentos infratores, na forma da Legislação Municipal. Os responsáveis também serão representados pelo crime de contrabando e por outros correlatos.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Veja também

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas