Semáforos dão mais tempo a pedestres em 12 cruzamentos

Em oito meses, 246 pessoas foram atropeladas em São Paulo.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Camila Maciel/Agência Brasil

(Rovena Rosa/Agência Brasil)

O tempo de semáforo para pedestre será aumentado em cerca de 20% em 12 endereços da capital paulista. A medida foi anunciada hoje (24) pelo governo municipal e faz parte das ações da Semana da Mobilidade, que tem como tema neste ano Somos Todos Pedestres. A iniciativa tem por objetivo ampliar as medidas de segurança para pedestres na cidade. De janeiro a agosto de 2018, o trânsito de São Paulo soma 560 mortes, das quais 246 foram atropelamentos, representando 43% do total.

Além das 12 travessias que foram contempladas agora com o aumento do tempo, outros 21 endereços em corredores da cidade já contam com a mudança. O Programa Pedestre Seguro teve início no ano passado e contempla também a revitalização e ampliação da sinalização horizontal e vertical. Foram alvo desta nova etapa do programa, a Estrada de Itapecerica, as avenidas Raimundo Pereira Magalhães, Senador Teotônio Vilela, Engenheiro Caetano Álvares, Sapopemba e Aricanduva, entre outras.

O tempo de retenção do fluxo de carros nos semáforos para que o pedestre atravesse em segurança varia. Na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, por exemplo, o tempo de travessia para o pedestre passou de 18 segundos para 22 segundos – um acréscimo de 22%.

Prioridade para pedestre

O médico Alberto Sabbag, diretor da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), avalia que a priorização do pedestre é sempre o melhor caminho para adotar soluções no trânsito de grandes cidades. “Fica sempre o dilema para gerenciar o fluxo. As pessoas querem que o trânsito ande rápido, mas, em todos os cruzamentos e regiões, existe o tráfego de pedestres que é maior que o tráfego de veículos, em número. São milhões de pedestres trafegando”, comparou.

Outra novidade das ações anunciadas pela prefeitura é a implantação do programa Via Segura na Avenida Carlos Caldeira Filho, na zona sul da capital paulista, a partir do dia 5 de novembro. A iniciativa é similar a que foi feita na Avenida M’Boi Mirim e que reduziu o número de mortes na via de 15 para 8 entre julho de 2017 a julho de 2018. Entre as medidas estão, aumento do efetivo de agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego, instalação de novos radares de fiscalização, alterações viárias e de semáforos, além de instalação de faixas e banners com orientações para moradores.

Sabbag destaca que medidas no trânsito são fundamentais, mas que é necessário investir também em educação. “Muitas vezes um motorista para para o pedestre e o motorista que está atrás fica buzinando, como se você fosse culpado da pressa que ele tem. São ações educacionais, tanto para motorista – aí ponho motorista, motociclista, ciclista –, como para o pedestre”, apontou. Ele lembra, por exemplo, as distrações provocadas pelo celular. “O alerta não é só para o motorista, mas os pedestres também andam abusando do uso”, acrescentou.

Compartilhe notícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp

Outras notícias

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie!.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias relacionadas